Exercício físico de alta intensidade é seguro para o coração?

21 de Março de 2017, por Anderson Gregorio Joaquim

Ainda escutamos diariamente que treinamento físico intervalado de alta intensidade, ou High Intensity Interval Training (HIIT), não é indicado para as pessoas com alguma doença cardiovascular, pois, muitas pessoas justificam fazer mal para o coração por aumentar muito a Frequência Cardiaca.

No entanto, observamos pelas pesquisas que este tipo de treinamento tem mostrado melhores resultados em parâmetros fisiológicos comparado aos treinamentos tradicionais de moderada intensidade, sem levar a respostas anormais do sistema cardiovascular e parâmetros bioquímicos.

Então, pesquisadores pelo mundo estão estudando os efeitos deste tipo de treinamento em pessoas com o pior quadro quadro clínico cardíaco, que são as pessoas com Insuficiência Cardiaca (IC).

Normandin et al. (2013) da Universidade de Montreal, no Canadá, submeteram idosos com insuficiência cardíaca (IC) e fração de ejeção de 26%, a sessão única de exercício contínuo (22 min á 60% da capacidade máxima) e ao HIIT (2 blocos de 8 min sendo, 8 esforços á 100% da capacidade máxima intercalados com repouso).

Os resultados demonstraram maior aderência dos idosos ao HIIT (85%) em relação ao contínuo moderado (40%) sem promover arritmias. Houve menor percepção de esforço para quem fez o HIIT e maior tolerância em realizar o HIIT.

Não foram encontraram em ambos os protocolos de treinamento, anormalidades no eletrocardiograma, na pressão arterial e nos níveis de Troponina T, substância que indica segurança cardíaca. Tais variáveis medidas não mudaram 20 minutos ou 24 horas após as sessões de treino.

Rognmo et al. (2004) da Faculdade de Medicina de Trondhein, Noruega, compararam em idosos com doença arterial coronariana (infarto agudo do miocárdio, revascularização do miocárdio) o efeito do treino intenso (80-90% do consumo de óxigênio máximo - VO2max ) e contínuo de moderada intensidade (50-60% do VO2max) na melhora da capacidade aeróbia.

Ambos os treinamentos foram realizados 3 vezes por semana durante 10 semanas.

Os resultados demonstraram que o treinamento intervalado de alta intensidade aumentou o  capacidade aeróbia em 17,9% e o treinamento contínuo em 7,9%.

Além disso, apesar dos idosos terem cardiopatias graves, o treinamento de alta intensidade não promoveu nenhuma resposta hemodinâmica e cardiovascular anormal durante todo o programa de treinamento.

 É necessário nós usufruirmos de conhecimento sólido para ajudarmos as pessoas terem uma vida de qualidade. E o exercício físico como abordagem não-medicamentosa, mesmo de alta intensidade, vem de encontro a este propósito e mostra ser muito seguro para indivíduos com doença cardiovascular. Se é seguro para individuos doentes do coração, imagine para os indivíduos sem qualquer doença !

Colocar vida nas vidas das pessoas é de muita responsabilidade, e com capacitação, atualização a cerca do há de melhor na ciência, podemos realizar tal ato com muita segurança e prazer.

 

Referências

Normandin E. et al. Acute responses to intermittent and continuous exercise in heart failure patients. Can J Cardiol. 2013 Apr; 29(4):466-471.

Rognmo O. et al. High intensity aerobic interval exercise is superior to moderate intensity exercise for increasing aerobic capacity in patients with coronary artery disease. Eur J Cardiovasc Prev Rehabil. 2004 Jun;11(3):216-22.