Aproveito a oportunidade lançada pelo professor de Tecnologia da Informação e Comunicação do Ensino de Física Ewout ter Haar em criarmos um post num blog, para falar de um assunto que tem muito a ver com tecnologia e comunicação em sala de aula, que é o uso de aparelhos telefônicos.

Já leciono há 3 anos e esse problema sempre foi apontado recorrentemente pelos meus colegas e superiores. Acontece que minha opinião difere em muito da defendida com unhas e dentes pela grande maioria de docentes que conheço. Acredito que devamos permitir sim o uso de celulares em sala de aula e acredito nisso por uma série de fatores.

Para começar, quando proibimos uma coisa que é muito prazerosa ao punido, isso gera certo rancor por porte dele. Quando tentamos evitar que o aluno use o celular, ele se chateia e muitas vezes faz de tudo para nos "enganar" e usar o aparelho mesmo assim, o que gera um desconforto em ambas as partes.

Por outro lado, o celular é um ótimo recurso para consultas rápidas o que pode ajudar os alunos durante uma tarefa e até mesmo durante a explicação. Obviamente que esse uso tem que ser controlado, mas reforço que a permissão gera mais colaboração do que a proibição.

 

Desde que comecei permito o uso do celular. Inclusive para fazer contas que não queremos fazer de cabeça, olhar as horas, o nome ou data de nascimento de algum inventor. A questão é que desde que as regras sejam pré-estabelecidas desde o princípio, teremos a colaboração e aceitação de uma maneira bem menos desgastante que a de proibir todo e qualquer uso.