Um pouco de tudo, inclusive de mim mesma. Nem tudo vai agradar, mas essa sou eu e as coisas que me cercam. Eu mudei muito, mas e dai? Minha cara e o meu nome continuam a mesma coisa, me interessa fazer o que acredito ser o certo. Ter opinião diferente não obriga ninguém a brigar com ninguém, cada um é livre para pensar, falar e agir como quiser de acordo com o que acredita ser certo. Cada um é responsável pelas consequencias de suas próprias palavras, pensamentos e ações.

Centro de visitantes do Templo de São Paulo

19 de Outubro de 2019, por Priscila Frohmut Fonseca

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias inaugurou em São Paulo seu primeiro centro de visitantes do país, onde o público pode conhecer detalhes da cultura e da história dessa comunidade, que tem mais de um milhão de pessoas no Brasil.

O centro está localizado ao lado da estação Morumbi, da Linha Amarela do metrô paulistano, e fica dentro do complexo do Templo de São Paulo, um dos mais de 160 edifícios considerados sagrados por membros, também conhecidos como mórmons.

Primeiro do tipo na América Latina, o centro paulistano soma-se a similares abertos pela Igreja nos últimos anos em capitais pelo mundo como Londres, Califórnia, Arizona, Cidade do México, Itália e Nova Zelândia

Logo na entrada, uma impressionante escultura do Cristo Ressurreto, réplica do Christus original do escultor dinamarquês Bertel Thorvaldsen e exposta em Copenhague, mostra o objetivo principal do espaço: mostrar a importância de Jesus Cristo para os santos dos últimos dias.

Porém, todo o local foi preparado para proporcionar uma experiência espiritual ao visitante, mostrando elementos conhecidos da cultura da Igreja, como a família, o trabalho missionário, os templos e o Livro de Mórmon, que é considerado sagrado como a Bíblia. Jovens missionárias servem no local para monitorar as visitas e explicar sobre a doutrina e a história da Igreja no Brasil, desde que chegou ao país há cerca de um século.

O centro tem ainda refeitório e um local reservado para crianças, que inclui interação com o evangelho através de programas eletrônicos e outros elementos visuais. Há também uma sala dedicada à oração. Noutro ambiente chamado Árvore da Vida, há uma representação visual de passagens do Velho Testamento e do próprio Livro de Mórmon.

 

Serviço:

Centro de Visitantes do Templo de São Paulo

Avenida Francisco Morato, 2430 Butantã – São Paulo SP

Funcionamento todos os dias das 9h às 21h, inclusive aos domingos e feriados. Entrada gratuita. Telefone (11) 3723-7637

 

 

Mais informações:

Sobre o centro de visitantes em São Paulo

https://www.saladeimprensamormon.org.br/artigo/centro-de-visitantes-do-templo-de-s%C3%A3o-paulo

 

Conteúdo da Igreja

http://www.lds.org

https://www.comeuntochrist.org

 

Notícias da Igreja

https://newsroom.churchofjesuschrist.org

 

 

 



O Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Ultimos Dias visita o Brasil

17 de Outubro de 2019, por Priscila Frohmut Fonseca

O profeta Russel M. Nelson, Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Ultimos Dias, esteve no Brasil no mês de Setembro. Antes do evento o pavilhão do Anhembi em que ele estaria presente, ele respondeu perguntas para a imprensa e concedeu uma entrevista.

 

 Página do vídeo: https://youtu.be/Qrr7xobmqns



Já faz tempo...

18 de Março de 2015, por Priscila Frohmut Fonseca

Faz tempo que eu não acesso o meu Stoa, nem adiciono conteúdo, nem atualizo. Tinha até me esquecido que o meu Stoa faz parte da minha identidade pessoal. No Google é muito fácil localizar meu perfil e conteúdo do Stoa digitando meu nome completo, ou até mesmo digitando apenas o sobrenome Frohmut somente. Passei muito tempo sem dar importância pro site Stoa e pra tudo que eu tenho aqui.

Eu tenho arquivos aqui que eu quero e vou remover. Alguns são PDFs de livros, que mesmo sendo velhos, podem trazer problemas em relação a direito autoral - e o conteúdo deles não tem muito valor acadêmico na minha opinião, nem são algo tão procurado assim pelo público em geral que não possa ser encontrado por outros meios. Tem vários arquivos aqui que, para pessoas realmente interessadas em pesquisar sobre o assunto, podem ser facilmente encontrados na internet, até pelo Google - assim como eu pesquisei, juntei, organizei e arquivei, muitas pessoas também fizeram isso com esses arquivos e outros semelhantes. Resumindo, o que vou deletar não vai fazer falta pra ninguém, e pra mim vai ser um alívio.

Eu mudei muito desde a última vez que loguei aqui, em 2013. Como a minha identidade Stoa é bem visível pra muita gente, com certeza preciso mudar com urgência algumas coisas por aqui também. Meu perfil e meu conteúdo nesse site devem corresponder ao que eu realmente sou agora, e não mostrar aquilo que não merece ser lembrado. Se ao me arrepender o meu passado foi apagado e Deus não se lembra mais dele, eu acho que nem eu nem ninguém mais precisa de qualquer ajuda pra ficar lembrando do que eu deixei pra trás. Não estou falando em apagar 100% do meu Stoa, mas apenas aquilo que fez parte do meu passado, mas que eu não quero que interfira no meu presente nem atrapalhe meu futuro.

Não quero simplesmente colocar aqui um monte de palavras aqui sobre a minha religião aqui pra incomodar profundamente quem vai ler, muito menos quero incitar pessoas à contenda e debates enfurecidos com qualquer argumento religioso que eu possa usar aqui. Acredito que apagar lembranças do passado que eu quero esquecer faz parte do processo de mudança. No momento, basta pra mim dizer que sou membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias há mais de um ano, e se alguém quiser saber algo mais o site https://www.comeuntochrist.org fala sobre as crenças da nossa religião, e o site da Igreja que eu costumo acessar para ler sobre os líderes da Igreja, livros, revistas, vídeos da Bíblia, acessar as Escrituras, etc é o http://www.lds.org . O contéudo pode ser acessado em vários idiomas e pode ser selecionado até por país, e é possível localizar a igreja mais próxima de onde você ou seus parentes moram se alguém quiser visitar. Quem quiser pode ler as notícias da Igreja no mundo em https://newsroom.churchofjesuschrist.org .



Crônica de Millor Fernandes sobre a linguagem usada no dia-a-dia

20 de Novembro de 2013, por Priscila Frohmut Fonseca

Recomendo a todos que depois de ler essa crônica comprem e leiam o livro ''Preconceito Linguistico" de Marcos Bagno. Pra quem gosta de estudar um pouco mais de Português, é claro, tem quem não goste. Pra quem é da área de Letras também recomendo o livro didático ''A Língua que falamos'' escrito pelos professores de Letras da USP, organizado pelo professor e autor Luiz Antônio Silva.

Apesar de eu não falar assim como o autor descreve, o que não falta por aí é gente que se encaixa perfeitamente na descrição feita aqui de como uma pessoa age verbalmente no dia-a-dia. Essa é pra quem gosta de falar palavrão!!!

 

''O Direito ao foda-se!''

(crônica de Millôr Fernandes)

 

O nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional à quantidade de ''foda-se!'' que ela fala.

Existe algo mais libertário do que o conceito do ''foda-se''?

O ''foda-se'' aumenta minha auto-estima, me torna uma pessoa melhor. Reorganiza as coisas. Me liberta.

''Não quer sair comigo? Não? Então foda-se!''

''Vai decidir esssa merda sozinho(a) mesmo? Então foda-se!''

O direito ao foda-se deveria estar assegurado na Constituição Federal.

Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos extremamente válidos e criativos para prover nosso vocabulário de expressões que traduzem com a maior fidelidade nossos mais fortes e genuínos sentimentos.

É o povo fazendo sua língua.

Como o Latim Vulgar, será esse Português Vulgar que vingará plenamente um dia.

''Pra caralho'', por exemplo. Qual expressão traduz a idéia de muita quantidade do que ''pra caralho''?

''Pra caralho'' tende ao infinito, é quase uma expressão matemática.

A Via-Lactea tem estrelas pra caralho, o Sol é quente pra caralho, o Universo é antigo pra caralho, eu gosto de cerveja pra caralho, entende?

No gênero do ''pra caralho'', mas no caso, expressando a mais absoluta negação, está o famoso ''nem fodendo!''.

O "Não, não e não!'' é tampouco nada eficaz e já sem nenhuma credibilidade. ''Não, absolutamente não!" o substituem.

O '' nem fodendo!'' é irretorquível, e liquida o assunto. Te libera, com a consciencia tranquila, para outras atividades de maior interesse em sua vida.

Aquele filho pentelho de 17 anos te atormenta pedindo o carro pra ir surfar no litoral? Não perca tempo nem paciência. Solte logo um definitivo '' Danielzinho, presta atenção, filho querido... NEM FODENDO!''. O impertinente se manca na hora e vai pro Shopping se encontrar com a turma e você fecha os olhos e volta a curtir o CD do Lupicínio.

Por sua vez, o ''porra nenhuma!'' atendeu tão plenamente as situações onde nosso ego exigia não só a definição de uma negação, mas também o justo escárnio contra descarados blefes, que hoje é totelmente impossível imaginar que possamos viver sem ele em nosso cotidiano profissional.

Como comentar a bravata daquele chefe idiota senão com um ''é PHD porra nenhuma!'' ou '''ele redigiu aquele relatório sozinho porra nenhuma!''

O ''porra nenhuma'', como vocês podem ver, nos provê sensações de incrível bem-estar interior. É como se estivéssemos fazendo a tardia e justa denúncia pública de um canalha.

São dessa mesma gênese os clássicos ''aspone'', ''chepone'' e mais recentemente o ''prepone'' - presidente de porra nenhuma.

Há outros palavrões igualmente clássicos.

pense na sonoridade de um ''puta que pariu'', ou seu correlato ''pu-ta-que-o-pa-riu!!!'' falados assim, cadenciamente, sílaba por sílaba.

Diante de uma notícia irritante qualquer um ''puta-que-o-pariu!'' dito assim te coloca outra vez em seu eixo. Seus neurônios tem o devido tempo e clima para se reorganizar e sacar a atitude que lhe permitirá dar um merecido troco ou o safar de maiores dores de cabeça.

E o que dizer de nosso famoso ''vai tomar no cú!'' e sua maravilhosa e refroçadora derivação ''vai tomar no olho do se cú!''?

Você já imaginou o bem que alguém faz a si próprio e aos seus quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu interlocutor e solta: ''Chega! vai tomar no olho do seu cú!''. Pronto, você retomou as rédeas de sua vida, sua auto-estima. Desabotoe a camisa e saia na rua, vento batendo na face, olhar firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor íntimo nos lábios.

E seria tremendamente injusto não registrar aqui a expressão de maior poder de definição do Português Vulgar: ''fodeu!''. E sua derivação mais avassaladora ainda: ''fodeu de vez!''.

Você conhece definição mais exata, pungente e arrasadora para uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de complicação? Expressão, inclusive, que uma vez proferida insere seu autor em todo um providencial contexto interior de alerta e auto-defesa. Algo assim como quando você está dirigindo bêbado, sem documentos do carro e sem carteira de habilitação e ouve uma sirene de polícia atrás de você mandando você parar: O que você fala? ''Fodeu de vez!''.

Liberdade, igualdade, fraternidade e FODA-SE!



Receita - Muffin de Microondas

14 de Agosto de 2011, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

If you wanna read this on another language, just select the language you want on the Google Translate Tool at the top of the sidebar of this page.

*******************

Mufffin de Microoondas (12 unidades)

Ingredientes:

  • 1 xicara (chá) de açúcar
  • 1 1/2 xicara (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (chá) de fermento em pó
  • 2 ovos
  • 1/2 xicara (chá) de leite
  • 2 coleheres (sopa) de margarina
  • 100g de gotas de chocolate

Preparo:

Em uma tigela, peneire o açúcar, a farinha e o fermento e reserve. Quebre os ovos em ouitra tigela e bata com um garfo. Adicione o leite, a margarina e misture com uma colher. Despeje sobre os ingredientes secos, mexendo com a colher até a msitura ficar homogênea. Despeje em forminhas para muffin para microondasa forradas com forminhas de papel. Coloque as gotas de chocolate em acad bolinho e leve ao microoondas em potência média por 5 minutos. Dexie descansar por 10 minutos e sirva.

*******************