ONU oferece vagas a jovens brasileiros

12 de Agosto de 2011, por Desconhecido - 1Um comentário

Candidatos de até 32 anos podem se candidatar para carreira internacional nas Nações Unidas; inscrições vão até setembro e são para diversas áreas das ciências sociais, humanas e exatas

Sede das Nações Unidas, em Nova York. Foto: JC McIlwaine/ONU
Inscreva-se
Todo o processo de inscrição, bem como informações adicionais/dúvidas sobre o programa devem ser obtidas no site do Programa Jovens Profissionais, do Secretariado-Geral das Nações Unidas.

UN Careers - Young Professionals Programme
O Secretariado-Geral das Nações Unidas incluiu o Brasil na lista de países participantes no Programa de Jovens Profissionais (YPP, em inglês) para o ano de 2011. As opções de carreira, nessa edição, são nas áreas de assuntos humanitários, informação pública e comunicação, administração e estatística. As vagas devem ser preenchidas por profissionais de até 32 anos, que falem com fluência inglês ou francês e que possuam diploma em algum curso superior relacionado à área de atuação (ver tabela abaixo). A remuneração básica para quem for trabalhar em Nova York, por exemplo, varia de US$6.200,00 a US$10.800,00, por mês.

A busca por jovens, como no caso do YPP, pode ser um componente importante na mudança de cultura dentro de uma organização. “Em programas como esse o que se busca é o potencial, e não a experiência do profissional. Do ponto de vista da organização, isso traz benefícios a médio e longo prazo para mudança organizacional. Do ponto de vista do jovem profissional, é uma oportunidade de adquirir conhecimentos e habilidades para se desenvolver profissionalmente”, explica Alzira Silva, coordenadora de recursos humanos do PNUD Brasil.

O momento é oportuno para os brasileiros que querem ter uma carreira internacional. O crescente envolvimento do país nos fóruns multilaterais e organismos internacionais fez com que, nos últimos anos, aumentasse a demanda por brasileiros ocupando cargos nessas organizações. A lista de países elegíveis para o Programa de Jovens Profissionais é atualizada anualmente, e muda de acordo com o nível de representação que eles possuem no secretariado da ONU.

Embora existam vários atrativos para uma carreira na ONU, há alguns princípios centrais que devem guiar o candidato em sua escolha. “É fundamental que o profissional se identifique com a causa, a missão da organização. Esse é o primeiro passo para uma escolha acertada”, avalia a coordenadora.

Processo seletivo

As inscrições devem ser feitas online diretamente pelo site do Programa Jovens Profissionais. Depois de uma triagem inicial, os melhores candidatos de cada país farão uma prova escrita de conhecimentos gerais e específicos da área de atuação. Somente aqueles que se classificarem serão convidados para a entrevista. As cidades em que as provas serão realizadas ainda não foram definidas.Todo o processo é realizado em inglês ou francês, os dois idiomas oficiais do Secretariado da ONU.

Veja abaixo as quatro áreas de atuação do Programa Jovens Profissionais a que os brasileiros podem se candidatar esse ano.

ÁREA DE ATUAÇÃOSUBÁREACURSO SUPERIOR EXIGIDO
Assuntos HumanitáriosPaz, Política e SegurançaCiência Política 
Ciências Sociais 
Relações Internacionais 
Administração Pública 
Economia
Engenharia
Geociência
Direito 
Informação Pública e ComunicaçãoInformação Pública e Relações ExternasComunicação
Jornalismo 
Relações Internacionais
Administração Gestão e Suporte de OperaçõesAdministração Pública 
Administração
Contabilidade 
Finanças 
Gestão de Recursos Humanos 
Análise de Sistemas
Marketing 
Direito 
Ciências Humanas
Educação 
Ciências Sociais
Psicologia 
Sociologia
EstatísticaDesenvolvimento Econômico e SocialEstatística
Matemática 
Economia (com especialização em Estatística ou Econometria) 
Ciências Sociais (com especialização em Economia)
Demografia



LEMBRANDO ONZE DE SETEMBRO

8 de Agosto de 2011, por Desconhecido - 44 comentários

 


 Recebi o E_mail e dei uma burilada

A repórter empenhada em preparar as comemorações comovidas para os dez anos da queda das Torres, perguntou ao cinquentão onde ele estava no trágico 11 de setembro.

Sem pestanejar o homem respondeu: - A gente tinha acabado de bater uma bola e estava tomando uma cerva super gelada. Ai veio triste noticia... No começo não entendi nada, mas, anos depois, mais maduro, eu vi a atrocidade que haviam cometido e cheguei a chorar num misto de dor e revolta, pensando no sofrimento de um povo que só queria ser feliz e que, por interesses mesquinhos de alguns patifes radicais, foi covardemente atacado...
A jornalista ficou muito empolgada com a resposta, visto que a mesma caía como uma luva aos interesses da emissora. O pessoal da estação de Radio havia sido muito claro nesse aspecto; queria comover os ouvintes com relatos emocionados sobre o famoso Onze de Setembro, o september eleven, como eles costumavam se referir ao evento, copiando os americanos. Para tanto, a moça deveria escolher a dedo a boa gente do povo, como era o caso daquele entrevistado e, dessa forma, criar certa empatia com a audiencia para colaborar em induzir os brasileiros a cerrar fileiras contra o Terrorismo Internacional e,principalmente, contra o Islã.
Então, tudo corria bem quando a repórter curiosa resolveu alongar a conversa e, com ar de desconfiada, atirou uma pergunta buscando entender uma estranha minúcia na estória do homem que, aliás, já dava impressão de estar segurando as lagrimas para não chorar em sua frente: - O Senhor me desculpe, mas é que não pude deixar de notar que o Senhor, no meio da estória, comentou que ANOS MAIS TARDE, depois do acontecimento, o Senhor, MAIS MADURO, entendeu melhor o fato... Como assim, mais Maduro? Afinal, quando aconteceu a tragédia o Senhor já não era tão jovem assim, não é?

- Eu tinha treze anos, moça!


- Como assim? O Senhor deve estar com uns cinqüenta agora... Como teria treze na época...


- Claro, que tinha treze anos. Era 11 de setembro de 1973 e nosso camarada, Salvador Allende, presidente legitimamente eleito do Chile, foi morto por tropas golpistas com apoio dos facínoras Norte americanos... Eu tinha treze anos e só anos mais tarde pude compreender a brutalidade do evento e de como ele afetou negativamente o Brasil e de como todos sofremos nas mãos dos EUA. E foi por isso que me engajei na luta pela redemocratização do Brasil. Sim. Nós lutamos como heróis e não arredamos o pé até conquistarmos nossa soberania novamente. Primeiro a anistia, depois o direito de votar e depois, por meio de um extraordinário torneiro mecânico, restabelecemos a dignidade de nosso povo! Proclamou o homem visivelmente emocionado e na seqüência arrematou:

- Felizmente voce é nova e viveu toda sua vida bem distante do jugo norte americano, longe do sofrimento que afegãos e iraquianos atualmente estão submetidos. Vivendo sem direitos, acompanhando todas as atrocidades cometidas por estes maníacos belicistas que invadiram seus países. Graças a Deus voce não conhece essa dor, senão certamente entenderia porque alguém que perdeu tudo se revolta e comete atos de rebeldia contra os EUA. Gente que perdeu toda família e entes queridos, metralhados por um bando armado ate os dentes, que pensa estar brincando com um vídeo game, enquanto promove a carnificina de crianças e mulheres desarmadas.

- Sorte sua não é?...

A Repórter visivelmente constrangida fez silêncio. Contudo, por derradeiro, ainda tentou uma ultima opinião, na esperança de conseguir fazer uma montagem com as palavras do cidadão:

- Mas eu estava falando do Onze de Setembro, ElevenSet,sabe? A queda das Torres... Compreende?

Nesse momento o homem fez uma cara simpática e rindo-se de si mesmo respondeu:

- Ah! O Onze de Setembro... Sim! Agora entendi... Claro! Claro! Opa! Eu me lembro muito bem onde estava quando as Torres caíram... Claro!

A Jornalista ficou tão entusiasmada que o questionou novamente:

- Então?... Onde o Senhor estava afinal? Onde o senhor estava quando as Torres caíram?

- Bem... A gente tinha acabado de bater uma bola e estava tomando uma cerva super gelada. Ai veio noticia... No começo não entendi nada, mas depois, mais atento, eu percebi o sucesso da ação que haviam empreendido contra o império facínora e nós começamos comemorar... A bebedeira invadiu noite adentro... Foi fantástico!

 "Ao focar a destruição do imperialismo, há que identificar a sua cabeça, que outra coisa não é senão os Estados Unidos da América do Norte."

ERNESTO CHE GUEVARA

 



A farsa do PiG sobre a Noruega

22 de Julho de 2011, por Desconhecido - 77 comentários

Quem é jornalista de verdade vai se indignar ao saber que a materia, publicada no The New york Times, cujo link se encontra no final do texto,  foi a base para a seguinte manchete no PiG brasileiro:

"Grupo islâmico reivindica atentado de Oslo, segundo jornal"

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/internacional/2011/07/22/grupo-jihadista-reivindica-atentado-​de-oslo.jhtm

 

 

Ou seja; absolutamente nada a ver , nem com a manchete e nem com o conteudo propriamente dito, com o que realmente foi publicado pelo NYT. Muito pelo contrario, o Jornal deixa claro que os americanos apostavam em ação interna. Portanto, resta apenas a certeza de que a notica tupiniquim é apenas mais uma tentativa da imprensa ligada aos piores setores dos EUA, no sentido de alimentar um sentimento anti islamico no Brasil, conforme ja revelou o wikieleaks.

 

Esse é um caso que merece processo de calunia por parte do jornal americano, ja que palavras foram colocadas em suas folhas sem que ele as tivesse impresso, nem considerando a mais favoravel interpretação do que noticiou na verdade.

 

 Parte do Texto que supostamente daria base à Manchete:

" American counterterrorism officials cautioned that Norway’s own homegrown extremists, with unknown grievances, could be responsible for the attacks.

Initial reports focused on the possibility of Islamic militants, in particular Ansar al-Jihad al-Alami, or Helpers of the Global Jihad, cited by some analysts as claiming responsibility for the attacks. American officials said the group was previously unknown and might not even exist..."

Tradução:

"... Funcionários do contraterrorismo americano advertiram que os extremistas da própria Noruega, com queixas diversas, poderiam ser responsáveis pelos ataques.

Os Relatórios iniciais se concentravam sobre a possibilidade de militantes islâmicos, em especial Ansar al-Jihad al-Alami, ou Ajudantes da Jihad Global, citado por alguns analistas como reivindicantes de responsabilidade pelos ataques. Autoridades americanas disseram que tal grupo era até então desconhecida e pode ria ate mesmo não existir...."

 

http://www.nytimes.com/2011/07/23/world/europe/23oslo.html?pagewanted=2&ref=global-home

 



POR QUE MEU IRMÃO FELIPE FOI MORTO NA USP

18 de Maio de 2011, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Alguns poderiam dizer que uma bala matou nosso colega. 

Outros logo apontarão para o bandido. Ele é o culpado! Esta resolvida a Questão! Será?

E a segurança do Campus? A policia? Todos poderiam ter evitado o lamentável incidente. Tem certeza?

Chamemos o exército para dentro do Campus e mundo estara resolvido. Pois assim, nem a bala e nem o bandido se aproximarão de cidadãos de bem, como os especiais habitantes no espaço USP. Eles, os fascinoras, irão matar outros cidadãos de outros espaços, onde ainda os exercitos não chegaram.

Sim. É mais facil e mais asséptico entregar a um objeto, pernicioso, como é o caso do projétil assassino que existe somente para ferir pessoas, a culpa pela nossa derrota como civilização. É mais tranquilo deixar por conta da impessoalidade das instituições a responsabilidade de construir esse mundo novo, do seculo XXI, do futuro.

Mas uma Bala é uma construção humana. Ela só existe e só se move assassina submetida a vontade do homem. E o Homem é fruto de seu meio. O homem não é uma instituição fria e sem identidade. E o meio somos todos nós com nossas identidades, com nossos afetos, com nossos laços humanos.

E o meio atualmente é indiferente ao homem, a sua identidade e ao destino da bala.

É verdade. Há a indiferença nossa ante uma sociedade cada vez mais atrasada e violenta.

Nós estamos sempre ocupados quando se tratar de ações solidárias, quando nos chamam a participar do mundo na posição de elementos responsáveis pelos destinos da humanidade. Nós nunca podemos nos juntar a uma boa causa porque estamos sempre envolvidos com uma porção de tarefas, cujos resultados jamais garantirão a erradicação de tolices como a que matou nosso companheiro.

E assim, guardados pela inercia de nossas rotinas vazias, nós vamos assistindo ao mundo caminhando na contramão do que deve ser qualquer criação do homem, enquanto Ser dotado de inteligencia.

E as coisas inanimadas e sem identidade ganham responsablbilidades que no fundo são nossas.

Porque o homem é único ser capaz de construir uma sociedade livre, igual, justa e fraterna. Há quem duvide disso e chegue as raias do absurdo ao citar que tal assertiva não passa de uma aspiração piegas. Mas estes ainda estão no estagio dos animais irracionais e não entendem nada da razão.

Cada vez que um Ser Humano perde a vida tolamente, somos todos nós quem morremos como entes civilizados e portanto, nós devemos assumir nossas reponsabilidades entendendo que estamos falhando na construção dessa sociedade humana.

Sim. É somente por esse motivo que estamos pagando esse preço tão alto, absurdo, impensável, a perda de vidas por nada.

Alguns podem estar dispostos a movimentar-se somente porque temem o amanhã; ser o proximo da lista. Não, não pode ser assim... Nós devemos fazer algo tendo consciencia de que todos nós já fomos atingidos e já morremos junto com o nosso colega.

Não precisamos mais debater a velha questão existencial que assombrou o século XX: Por quem o sinos dobram?...

Nós já sabemos a resposta.

Agora precisamos dar pelo menos um minuto para cuidar de nós mesmos...

FAÇA UM MINUTO DE SILENCIO E PENSE QUE SEU IRMÃO, FELIPE RAMOS DE PAIVA, JOVEM, ESTUDANTE DE 24 ANOS, FOI MORTO NUMA QUARTA FEIRA, NO ESTACIONAMENTO DA FACULDADE DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO DA USP, POR ABSOLUTAMENTE NADA ALÉM DO QUE PODERIAMOS CONSTRUIR SE POR UM MINUTO NÓS TODOS NOS TIVESSEMOS COMO VERDADEIROS IRMÃOS.



O ESPETACULOSO GABEIRA

10 de Maio de 2011, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

 


Baseado tão somente em boatos espalhados por detratores de Cuba e desprezando completamente todas as informações prestadas pelas autoridades que atenderam o homem no Hospital, o midiático candidato derrotado do PV, fingindo ser alguém extremamente preocupado com os direitos humanos no Mundo, já cobra providencias enérgicas do Governo e do Congresso Brasileiro contra a Ilha. Aliás, providencias que jamais cobrou serem tomadas contra um certo País que invadiu outro e matou um cidadão,  raptou suas companheiras e depois lançou o corpo do defunto ao Mar. 
Agora, vejam como o grande "Humanista " ,"Defensor dos Direitos Humanos", "homem preocupado com a vida humana e a justiça" encerra seu texto a respeito da morte de Bin Laden:

No caso de Bin Laden, Obama fez o exatamente o que governo Bush faria se o tivesse encontrado.
E com isso resolveu também uma série de dúvidas a seu respeito, atraindo independentes e republicanos para sua futura campanha.
Passada a agitação da morte de Bin Laden recomeça a grande e cotidiana batalha pela recuperação da economia.

Repetindo...

Passada a agitação da morte de Bin Laden recomeça a grande e cotidiana batalha pela recuperação da economia..

E toca o barco... 

Dissidente cubano morre após espancamento
por Fernando Gabeira
Um dissidente cubano, Juan Wilfredo Soto Garcia, morreu depois de ser espancado pela policia política. Soto Garcia era do grupo Pólo Antitotalitário Unido, o mesmo de Guilherme Fariñas, agraciado com o Prêmio Sakharov pelo Parlamento Europeu.
O espancamento de Soto Garcia foi visto por várias pessoas e Fariñas denunciou a morte como um assasinato. A blogueira Yoni Sanchez, por sua vez, afirmou que não foi um fato isolado.
As autoridades divulgaram um comunicado do hospital de Santa Clara informando que Soto Garcia morreu vitima de uma pancreatite.
Juan Wlfredo Soto Garcia, morto após espancamento policial.
Figura pouco conhecida do movimento, o dissidente morto tinha saúde frágil e foi detido no dia 5 de março, no Parque Leôncio Vidal, em Santa Clara. Ele sofreu um infarto e era diabético.
A Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional, presidida por Elizardo Sanchez, pediu uma investigação do governo.
O fato deverá passar em branco no Congresso brasileiro porque a esquerda não quer falar nisso e a direita não se liga nos fatos internacionais. Resta o centro, mas o centro, todos sabem, é bastante vago.
Os direitos humanos foram colocados como prioridade na política externa brasileira, é bom lembrar.


Nota Informativa del Gobierno Revolucionario: Cuba desmiente campaña sobre muerte de Juan Wilfredo Soto García



En las últimas horas, una nueva campaña difamatoria se orquesta contra la Revolución. En esta ocasión, ante la muerte del ciudadano cubano Juan Wilfredo Soto García, ocurrida el pasado 8 de mayo, por una pancreatitis aguda, en el hospital Provincial Arnaldo Milián Castro, en Santa Clara.
Elementos contrarrevolucionarios, de manera inescrupulosa, fabricaron la mentira de que este deceso fue consecuencia de una supuesta golpiza que le habían propinado agentes del orden interior, lo cual fue rápidamente amplificado por los medios de la desinformación imperial, fundamentalmente de Europa y Estados Unidos, donde -incluso- algunos voceros gubernamentales han expresado presuntas preocupaciones por el hecho.
El 6 de mayo, dicho ciudadano ingresó en el citado hospital al presentar dolor abdominal intenso, provocado por una pancreatitis aguda. Posteriormente se diagnostica, además, una descompensación de otras enfermedades de base como la miocardiopatía dilatada, una hiperlipidemia (exceso de grasa en sangre), una diabetes y hepatitis crónica producto de hígado graso.
Las pruebas patológicas practicadas al occiso, arrojaron una muerte de tipo natural, estableciéndose como causa preliminar: “shock multifactorial por fallo multiorgánico, debido a una pancreatitis”. No se observaron signos de violencia internos o externos.
Al ciudadano Juan Wilfredo Soto García, de 46 años, le constan varios antecedentes delictivos, como alteración del orden, hurtos y lesiones graves, por lo que cumplió sanción de privación de libertad durante dos años.
En los últimos tiempos se vinculó a elementos contrarrevolucionarios, que lo usaron para sus actividades provocadoras. La última de ellas tuvo lugar el 5 de mayo en un parque de Santa Clara, por alteración del orden, ocasión en que fue conducido a una unidad policial y liberado tres horas después sin incidencia alguna.
Cuando se ratifica el amplio apoyo popular a los resultados del VI Congreso del PCC y el pueblo se empeña en la implementación de los Lineamientos aprobados, los enemigos externos e internos intentan desvirtuar la realidad cubana y socavar el prestigio internacional de la Revolución y su fortaleza moral.
Como expresara el Presidente de los Consejos de Estado y de Ministros, General de Ejército Raúl Castro Ruz, en el Informe Central al VI Congreso del PCC:
“Hemos soportado pacientemente las implacables campañas de desprestigio en materia de derechos humanos, concertadas desde Estados Unidos, y varios países de la Unión Europea, que nos exigen nada menos que la rendición incondicional y el desmontaje inmediato de nuestro régimen socialista y alientan, orientan y ayudan a los mercenarios internos a desacatar la ley”.
La Revolución siempre se ha defendido con la verdad y la fuerza invencible del pueblo, que confía en la fortaleza de las ideas de justicia que la hicieron posible.