NANOGRAPHIAS

 

Publicado em 2017, a obra é dirigida ao leitor brasileiro que busca seu primeiro contato com a Filosofia. O livro, que se encontra ainda em publicação autoral, deve o seu protagonismo ao personagem ficcional, "Nano". Encontrá-lo, como fazem os alunos, e seu professor, quando buscam a sabedoria é percorrer nas suas  "nanographias" a fim de encontrar-se com a própria filosofia. O primeiro passo, de todo amante da sabedoria.

Este primeiro volume, apresentado ao público é o primeiro de uma trilogia, que está sendo preparada e, visa, por meio do romance, incitar os jovens e adolescentes ao gosto pela filosofia e pelo filosofar. Deste processo, colaborativo, tem surgido nos últimos anos, as interessantes narrativas que compõe, e introduz, o primeiro volume. "Como Aprender Filosofia no Ensino Médio", o sub-título, é o primeiro livro sobre o ensino da Filosofia, na perspectiva do próprio aluno.

Já no prefácio do livro, o autor, se dirige aos estudantes e educadores. Ele aponta tanto a necessidade de estimular a leitura filosófica, quanto, através de uma estratégia de formação de escritores, desenvolver uma atividade que é propriamente filosófica, que é a escrita. Ao tomar para si a tarefa máxima da filosofia, que é tornarem-se investigadores da existência, ou do  Ser, estudantes e professores buscam uma resposta para O que é Filosofia?

 Prefácio

[Prefácio: NANO - ou Como Aprender Filosofia no Ensino Médio, pg 9-10]

 

Escrito e organizado pelo professor de filosofia na rede pública do estado de São Paulo, Eliezer Muniz, o livro apresenta desde seu início uma ideia principal, que permeiará toda a obra, isto é, a busca, nos dias de hoje, por uma origem da sabedoria e de que modo ela nos liga à vida, através de um processo continuo de criação da escrita.

E é neste contexto, que surge as "nanographias", ou, as escritas colaborativas. Nelas vão se formando narrativas que, por um lado são instigantes aos leitores que buscam conhecer a filosofia, e, por outro lado, compreende aquilo que tomamos dos percursos filosóficos de nossos adolescentes, isto é, que estão presentes em suas questões, que tanto importam à filosofia, como aos problemas relacionados a suas vidas. Dessa forma o Leitor se vê envolvido numa trama de textos, e narradores juvenis, que descrevem em primeiro lugar as suas experiência - em um ano escolar -, e, como lidam com suas próprias indagações. Em segundo, mas também neste ponto é interessante, suas "nanographias" narram de que modo o adolescente resistem à colonização de seu imaginario, desde em parte, por educação escolarizada, ou como buscam formar a própria identidade se auto organizando em grupos ou através dos movimentos estudantis, ; o livro nos conta por exemplo, a luta das ocupações das escolas pelos secundaristas em 2015 . Literatura filosófica por excelência, o livro não é apenas um registro deste período, político ou dos que nasceram após a Internet. Ele se apresenta também como um 'marco' de toda uma geração. Assim, nesse sentido é um livro que busca estimular a leitura filosófica - e por isto, é para todas as idades -, mas, também, por meio da aventura da busca do conhecimento, ele deseja compartilhar não só a alegria, mas tambés as dificuldades, daqueles que estão se iniciando na Filosofia.

 

Serviço:

O livro pode se encomendado diretamente pelo autor ( eliezer_muniz@yahoo.fr) Reg. Bib. Nac: 4.486\17

Nano - Nanographias - Eliezer Muniz 2017