(uma jornalista da Revista Educação entrou em contato para falar sobre plágio e internet nas escolas, estas são minhas anotações sobre esta pauta.) 

A internet está na sala de aula, se queremos ou não. Pode ser via os celulares dos alunos ou via um programa da escola, de uma forma ou outra teremos que aprender lidar com a internet na vida dos nossos alunos.

Três considerações sobre esta realidade:

1. A internet aumenta a necessidade de tratar da capacidade de leitura crítica dos nossos alunos. Devem ser capazes fazer sentido do mar de informação acessível na internet. É essencial que o o educador exerce seu papel de orientador, porque de fato, a maneira que fazemos a avaliação da confiabilidade de fontes está mudando. A grande variedade da qualidade da informação disponível na internet faz realmente necessário novas habilidades. 

2. A questão do plágio é uma questão relativamente simples de normas, costumes e ética. Não é dificil estender conceitos básicos de honestidade ao mundo de ideias. Deve ser deixado claro que é "feio" assumir a autoria de trabalho que não é seu. Mas a internet muda sim alguns detalhes práticas, por exemplo de como melhor fazer atribuição. Algumas normas e costumes de como usar trabalho dos outros dependem do contexto, e educadores devem novamente orientar seus alunos quais as normas apropriados para cada contexto, desde o compartilhamento de piadas no facebook, até trabalhos escolares formais. E é importante não deixar o medo de plágio constrangir as várias formas de reuso e remix que a tecnologia digital permite e que potencializem tanto os nossos instintos criativos.

3. Não acredito que esta nova geração é mais capaz de fazer “multitasking”. É mesmo um desafio, tanto para educadores como para seus alunos, lidar com as destrações que a connectividade contínuo apresenta. Por exemplo, os aplicativos no celular do facebook ou whatsapp são desenhados propositalmente para capturar a atenção dos usuários. É mesmo muito difícil alguém prestar atenção numa determinada atividade, quando é constantamente desafiado de satisfazer seu desejo de olhar os updates. Uma maneira de lidar com isto para educadores é reconhecer o fato e desenhar a sua aula para que haja por exemplos momentos “assistir”, intercalados com momentos “fazer alguma atividade”. Ou seja, orientar os alunos de usar as possibilidades informativos e colaborativas da internet no momento apropriado.