Um dia, o Arlindo caiu num bueiro aberto. Escorregou ateh laa no fundo do buraco.

Encontrou um rato enorme que ficava cantando o tempo inteiro numa lingua estranha. Depois de ficar um pouco tonto com o cheiro dos fungos, Arlindo começou a entender tudo o que o rato falava; os dois foram caminhando, pelos bueiros, e o ratão contou como era a vida por ali.

O Povo do Bueiro era governado por uma traveca que tinha sido jogada no rio por uns caras fortões, - tipo depois de ser roubada e espancada - Era conhecida como Queen Dora. Ali ela mandava e desmandava. Tinha descoberto que, os fungos, que cresciam nas paredes dos bueiros lhe davam o poder de falar com os ratos.

Queen Dora, que era formada em química, estava desenvolvendo um tipo de fungo que iria transformar toda a população da Cidade em travestis. Esse fungo, seria jogado nos reservatórios d`água [na parte alta da cidade].

Não iria nem precisar beber da água, era soh tomar banho que os peitos já começariam a crescer. Arlindo ficou chocado, principalmente porque ele nem gostava muito de travestis. Estava tentando convencer Queen Dora a desistir do atentado quando percebeu que ele mesmo já tinha dois peitões. 

Brotou em Arlindo uma alegria atávica e ele começou a dublar Bethãnia. Virou a Divina Arliz.

Ela me ligou semana passada pedindo para eu divulgar seu novo show e garantiu que, enquanto as pessoas continuarem a respeitar os travestis, eles não jogarão nada nos reservatórios, mas, se outra colega for desreipeitada, a população toda vai virar traveca.

É bom você jáa ir ensaiando uns números musicais.

por Duilio Ferronato, Revista da Folha