Já faz algum tempo que queria escrever sobre este tema, mas somente agora consegui um tempo adequado.

Algum tempo atrás estava verificando o Qualis-CAPES na area de Ciência da Computação para ver quais revistas nacionais de boa qualidade, com bom impacto na comunidade nacional, e que publicam trabalhos em Português e/ou Inglês. Devido ao nível de Excelência da Computação no Brasil, esperava encontrar pelo menos uma revista (para não dizer várias) com Qualis A Nacional. Contudo, para minha surpresa, temos apenas revistas com Qualis B Nacional.

Por quê isso acontece? Por quê algumas revistas que promovem a computação no Brasil e são consideradas Qualis A em outras áreas, não têm o mesmo impacto no Qualis na área de Computação? Que mistério é esse? Como um bom pesquisador, fui verificar mais a fundo o problema.

O Qualis da Computação se Baseia no seguinte:

Periódicos Internacionais : são considerados os índices de impacto dos periódicos
indexados no ISI/JCR (Journal Citation Records) e aqueles registrados pelo CS (CiteSeer -
Computer Science ResearchIndex -- http://citeseer.nj.nec.com/impact.html) em julho de
cada ano.
Regras:

  1. A classificação é baseada nos seguintes pontos de corte dos índices de impacto:
    • JCR: A: 60%; B: 30%; C: 10%
    • CiteSeer: A: 40%; B: 40%; C: 20%
  2. No caso de periódicos que constam tanto no CiteSeer como no JCR foi considerada a melhor classificação.
  3. periódicos das sociedades científicas da área: ACM, IEEE, INFORMS, SIAM que não estiverem indexados são classificados como B.

Periódicos Nacionais : por decisão do Comitê, o JBCS (Journal of the Brazilian Computer
Society) é classificado como Internacional C e a RITA como nacional. Periódicos nacionais não contemplados no JCR ou no CiteSeer não são classificados.

Periódicos de áreas afins e outras áreas (não-afins): recebe a maior classificação das
classificações atribuídas pelas outras áreas. As áreas afins são: Engenharia Eletrônica,
Matemática, Matemática Aplicada, Pesquisa Operacional e Estatística, quando detectada a
interface com a Computação. Faltando informação marca-se como impróprio.

Se basear ina ISI/JCR é comum em qualquer país (como no Japão), contudo se basear no CiteSeer acho um pouco arriscado, pois para quem sabe, o CiteSeer possui muitas falhas e atualmente o mesmo foi descartado (não é atualizado desde 2005 http://en.wikipedia.org/wiki/CiteSeer). Na tentativa de melhorar o sistema atual criaram o CiteSeerX (http://citeseerx.ist.psu.edu/ ) anda em versao inicial.

Mas o que mais me interessa neste artigo é realmente os periódicos nacionais !! Prestem atenção que apenas o JBCS e o RITA possuem algum tipo de classificação MANUAL. E todas as outras revistas nacionais precisam estar listadas no JCR ou no CiteSeer ???? Perai ... como ambos (JCR e CiteSeer) só indexam periódicos em Inglês, isso quer dizer que NENHUM PERIÓDICO NACIONAL COM PUBLICAÇÃO EM PORTUGUÊS PODE SER CLASSIFICADAS PELO QUALIS ATUAL NA ÁREA DE COMPUTAÇÃO.

Ou seja, um tanto quanto, Obsurdo !! Para salvar algumas revistas, existe a terceira opção que são periódicos de áreas afim e outras áreas. Está escrito que a revista receberá a maior classificação das classificações atribuídas pelas outras áreas. Contudo, parece que esta classificação também sofre alteração MANUAL pelo Comitê. Olhando, por Exemplo a RBIE - Revista Brasileira de Informática na Educação da SBC (Sociedade Brasileira da Computação). A RBIE possui Qualis A na área de Engenharia IV (Engenharia Elétrica e Engenharia Biomédica), contudo na área de computação a RBIE recebe Qualis B. Tentei procurar algo no critério de Computação que validasse esta atribuição, mas não encontrei.

Outros exemplos são a Revista IEEE América Latina e a INFOCOMP: Journal fo Computer Science. Ambas publicam trabalhos Nacionais (e internacionais) intrinsicamente relacionados a computação mas nem sequer recebem classificação na área de computação.

Identificar revistas nacionais Qualis A na área de Computação, que publicam trabalhos em PORTUGUÊS (e/ou Inglês) com o objetivo de desenvolver a comunidade nacional é de essencial importância para o desenvolvimento da Computação no Brasil. Publicar trabalhos na língua nacional é fundamental para agilizar e facilitar o processo de difusão do conhecimento no país.

O fato de publicar trabalhos na língua de origem se torna mais importante quando pensamos na multidisciplinaridade da computação. Seguindo o exemplo da RBIE, esta revista publica trabalhos relacionados a Educação no Brasil e como melhor o ensino utilizando técnicas de computação. Neste caso é fundamental que a publicação seja feita em Português já que os leitores da revista são professores que poderão utilizar os resultados de pesquisas em suas classes para melhorar a quailidade do ensino brasileiro. Caso esta publicação seja feita em Inglês, muitos professores, especialmente de nível fundamental e médio não terão acesso as tecnologias desenvolvidas no país e não poderão usufruir dos benefícios da tecnologia produzida no país.

Eu acredito que é dever do pesquisador Brasileiro, ajudar o país, divulgando resultados em Português e oferendo recursos que possam ser utilizados pela sociedade. E o Qualis da computação atual oferece um impecílio a realização desta tarefa. Claro que precisamos divulgar nossos resultados internacionalmente, mas temos que proporcionar o equilibrio adequado entre publicações em revistas nacionais e internacionais. Para mim o termo Nacional no qualis da computação deveria ser considerado de uma forma mais adequada.

Possível Solução:

O jeito mais simples de Melhorar a qualidade da análise de Periódicos e de Congressos Internacionais é criar grupos temáticos. É de meu conhecimento que alguns grupos foram criados, mas infelismente não foram utilizados efetivamente. A computação possui várias vertentes e alguma delas, multidisciplinares. Assim, os grupos temáticos precisam abrigir a realidade da computação.

Veja o caso de computação e Jogos, computação móvel ou a computação musical. Estas novas vertentes são intrinsicamente multidisciplinares e atuais. Contudo, por causa do Qualis da computação, pesquisadores tendem a não publicar e aplicar todos os seus recursos e esforços nestas áreas, pois estas novas areas nao possuim Qualis adequado e, nao tendo Qualis adequato, fica dificil pedir verba para o CNPq, Capes, FAPESP e outras FAPs, a menos que aja uma chamada para pesquisa temática. Ou seja se voce for realmente trabalhar nestas áreas e publicar artigos relacionados a um tópico específico, mesmo que seu trabalho tenha grande impacto internacional, para as entidades de fomento isso nao tera muita relevância na hora de pedir auxílio financeiro.

Então, o que normalmente acontece é: os pesquisadores no Brasil fazem pesquisas nas áreas em que é possível publicar artigos em conferências e Journals com Qualis A ou B e depois se desdobram para também publicar nas conferências que lhes interessam. Trabalho triplicado que dificulta a vida do pesquisador brasileiro.

Veja a diferença: No Japão, onde estou atualmente, pesquisas na área de ontologias e Web Semântica estão sendo realizadas a mais de 15 anos ... quando estes termos não eram nem conhecidos pela comunidade internacional. E à 15 anos o governo Japonês investe nestas tecnologias. Para quem não sabe, já se encontram em uso em celulares e outros equipamentos eletrônicos. ( O grande problema do japão é que a maioria das pesquisas são realidas em industrias e as publicações são realidazas apenas em Japonês com diversas restrições devido aos direitos autorais que as industrias possuem). No Japão também existe indicadores de produção de boa qualidade. Mas novas vertentes na computação são vistas de forma bem diferente a da Qualis atual, ou melhor, no Japão novos pesquisadores são incentivados a seguir novas vertentes da computação, pois assim estes se tornarão lideres e pioneiros de áreas que se tornarão consolidadas no futuro.

Resumindo, os grupos temáticos deveriam estar realmente engajados em identificar conferências e revistas de boa qualidade, principalmente nas áreas novas que estão em crescimento e não esquecendo a multidisciplinaridade que a computação oferece. Somente assim, as pesquisas realizadas no Brasil vão começar a proporcionar grande impacto e quem sabe algum Nobel ou Turing Award seja indicado para um Brasileiro que faz sua pesquisa no Brasil. 

A computação é um ramo de estudo realmente diferente dos demais. Tanto é que artigos em conferências na área de computação são tão importantes quanto publicar artigos em revistas (que as vezes demorar um ano passa sair publicado). Os avanços em nosso campo andam com passo acelerado e o Qualis precisa estar de acordo com este passo para garantir o bom desenvolvimento das pesquisas em Computação no Brasil.

Esta artigo é apenas uma crítica construtica que espero, humildemente, seja de benefício para as pessoas que o leiam e quem sabe abra os olhos das pessoas que poderão modificar o Qualis da computação em um futuro proximo.

Comentários e/ou sugestões são muito bem vindos.