O TEMPO, SEGUNDO JOCAX

Por João Carlos Holland de Barcellos , (14/marco/2014)

“O tempo é a quantidade de eventos que ocorreram no Universo. (Jocax)”

Palavras chaves: Tempo, Universo, eventos, Relógio, Observador.

Introdução

Não existe algo tão incompreendido na física quanto o conceito de tempo. O tempo é um conceito amplamente utilizado, não apenas na Física mas em quase todas as áreas da ciência e da filosofia e, ainda assim, muito mal compreendido. Muitos autores discordam sobre a existência do tempo e inúmeros filósofos e cientistas discorreram sobre ele [1].

Iremos mostrar que o tempo pode ser definido de maneira simples e objetiva e, a partir dessa definição, todos os mistérios desse conceito podem ser solucionados.

O Tempo de Newton

Muitos, como Isaac Newton, entenderam e entendem o tempo como algo absoluto, que nunca para ou parou, talvez porque imaginam uma espécie de relógio absoluto ininterrupto (como um Deus) de forma que o tempo também não pararia.  Nas palavras de Isaac Newton:

O tempo absoluto, verdadeiro e matemático, por si só e por própria natureza, flui uniformemente, sem relação com nenhuma coisa externa, e é também chamado de duração” [1]

Este antigo conceito newtoniano de tempo, além de ter sido ultrapassado pela teoria da relatividade [2], também viola o ‘teorema de Kalam’ [3]. De modo que, mesmo na física atual, este conceito de tempo absoluto não mais é utilizado, e está restrito aos filósofos e pensadores mais saudosos.

É interessante observar que mesmo antes da teoria da relatividade, o conceito de tempo foi bastante pensado e discutido [4]. McTaggart, inclusive, afirmava que o tempo era irreal [5].

 

O Tempo Jocaxiano

A primeira coisa que devemos observar é que o tempo é uma relação entre mudanças de estado:

-Se não há mudança de estado então, também não há tempo e vice-versa.

Só existe tempo se algo muda. Isto é, se ocorre algum evento, isto é, se ocorre alguma alteração em alguma coisa.

Se nada muda no universo o tempo não existe.

Podemos definir o Tempo como:

“O Tempo é a quantidade de eventos que ocorreram no Universo.”

Com esta definição podemos perceber que:

- Sem eventos o tempo não flui. Se ocorreram um zilhão de eventos até agora e a partir de então não ocorreu mais nenhum evento, então o tempo parou na marca de um zilhão.  Se nada mais acontecesse no universo o tempo ficaria parado, sem fluir.

 

-Se dois eventos ocorrem simultaneamente é porque não existe nenhum outro evento no universo que ocorreu entre os dois.

O Tempo e o observador

Devemos perceber que se a quantidade de eventos que ocorrem no universo é um conceito que depende de como o Universo é observado então o tempo depende do observador. Ou seja, não entramos no mérito de *como* os eventos que ocorrem no Universo seriam computados e como isso dependeria do observador ou seria influenciado por sua movimentação ou não.  Se o computo da contagem dos eventos depender da velocidade do campo gravitacional ou outro aspecto físico do observador, então o tempo também seria relativo a estas causas. Caso contrário, não.

Por exemplo, se a quantidade de eventos que ocorreram no universo até um dado evento qualquer não dependa do observador, então o tempo seria absoluto.

Função do Tempo

A principal função do tempo é a de relacionar a ordem de precedência de eventos [em relação a um observador]. Assim dizemos que:

Um evento ‘A’ precede um evento ‘B’, em relação a um observador, se houver mais ocorrências de mudanças de estado (eventos) no UNIVERSO até o surgimento de ‘B’ do que de ocorrências no surgimento do evento ‘A’.

Ou seja, se houver um número maior de mudanças de estado (de eventos no universo) até o momento da observação do evento ‘B’ do que o de ocorrências de eventos até a observação do evento ‘A’, dizemos que o evento ‘A’ precedeu o evento ‘B’.

Por exemplo, no caso particularíssimo de apenas dois eventos no universo:

Ocorre o evento ‘A’ (apenas um evento), em seguida o evento ‘B’ (segundo evento). Até o surgimento de ‘B’ havia apenas 1 evento no Universo (o evento ‘A’). O surgimento de ‘B’ passa a contar dois eventos no universo, isto é, o Surgimento de ‘A’ conta 1 evento no universo, o de B conta 2. Portanto, segundo nossa definição, ‘A’ precede ‘B’ no tempo.

O Tempo e o Relógio

Como é praticamente *impossível* contar todos os eventos do universo, pode-se utilizar um relógio. O relógio é um sistema (uma espécie de microuniverso) que está sempre mudando de estado. Cada mudança de estado no relógio é chamada de ‘tic-tac’. Assim, o número de 'tic-tacs' no relógio talvez possa fazer o papel de contagem de eventos no universo.

Talvez seja possível *provar* que, utilizando-se um relógio, e, se este marcar uma contagem maior de 'tic-tacs' até o momento de uma observação 'B' do que de 'tic-tacs' em relação à outra observação 'A', Se isso implicar que haverá, necessariamente, também mais eventos no universo ocorridos até o momento da observação de ‘B’ do que ocorridos até o momento da observação de ‘A’, Então o relógio pode perfeitamente ser utilizado para fazer relações de precedência entre eventos segundo o observador que utiliza deste relógio.


Conclusão

Podemos concluir que a ‘relação’ de eventos (mudanças de estado) que define o tempo não é nada mais do que a quantidade de eventos (mudanças de estado) que existiram no universo entre a ocorrência destes eventos. O tempo entre dois momentos, o evento ‘A’ e o evento ‘B’, é a quantidade de eventos do universo que ocorreram entre os eventos ‘A’ e ‘B’ inclusive. E que se o número de eventos de um relógio (‘tic-tacs’) for uma função crescente do número de eventos do universo, então o relógio pode servir para ordenar eventos neste universo.

 ------------//--------------

Apêndice

 – Artigos sobre o tempo

 [1A] O “Tempo Absoluto” de Newton
http://obaricentrodamente.blogspot.com.br/2010/05/o-tempo-absoluto-de-newton.html

[1B] As ideias de Newton sobre tempo, espaço e movimento (1883)
http://www.fflch.usp.br/df/opessoa/Mach-4-Mecanica-Espaco-2.pdf

[2A] O tempo de Einstein e o Princípio da Relatividade
http://www.portaldoastronomo.org/tema_pag.php?id=16&pag=2

[2B] O tempo da Física (Henrique Fleming)
http://groups.yahoo.com/group/Genismo/message/6264

 [3] Teoremas Bocagianos
http://www.genismo.com/logicatexto35.htm

[4] A Natureza do Tempo
http://www.fflch.usp.br/df/opessoa/FiFi-13-Cap03.pdf

[5] “A irrealidade do tempo".
http://www.fflch.usp.br/df/opessoa/McTaggart-com-HQ-1.pdf

 

[6] O Tempo sem dimensão
https://groups.yahoo.com/neo/groups/Genismo/conversations/topics/7752