Normas ABNT

20 de Fevereiro de 2010, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Há normas ABNT que todo revisor deve obter e estudar.
Obviamente não podemos seguir essas normas à risca para todo tipo de trabalho.
Um texto acadêmico pede que usemos mais normas que um texto publicado em editora.
Mesmo porque muitas vezes a editora segue seu próprio padrão. Querem um exemplo? A norma ABNT 6029:2006 indica que a ficha catalográfica dos livros deve estar no verso da folha de rosto. Porém, muitas editoras têm colocado a ficha catalográfica ao final dos livros, próxima aos créditos editoriais. Então, bom senso sempre!
Sem mais delongas, aí vai a lista.

ABNT NBR 6025:2002 - Revisão de originais e provas.
Muito importante para quem quer conhecer as normatizações das marcas de revisão, afinal, isso varia de editora para editora e é bom ter um padrão em mente. E claro, seguimos o padrão da editora, quando esta o exige.

ABNT NBR 6023:2002 - Informação e documentação - Referências - Elaboração.
Essencial para padronizar e normatizar referências bibliográficas. Essa norma aprensenta modelos de referências de todo tipo.

ABNT NBR 10520:2002 - Informação e documentação - Apresentação de citações em documentos.
Depois de saber como normatizar as referências, também é bom se informar como padronizar as citações, que também exigem rigor.

ABNT NBR 6024:2003 - Numeração progressiva das seções de um documento escrito - Apresentação.
Em trabalhos acadêmicos há numeração de seções e subseções. Essa norma explica como se fazer isso.

IBGE. Normas de apresentação tabular. 3. ed. Rio de Janeiro, 1993.
Aqui não é uma norma ABNT, mas vale como tal nos casos em que queremos padronizar tabelas, quadros etc. Para quem vai revisar teses na área de exatas é essencial.

As normas a seguir se autoexplicam pelo próprio título: de que forma devemos apresentar um sumário, um resumo, uma lombada ou um índice.
ABNT NBR 6027:2002 - - Informação e documentação - Sumário - Apresentação.
ABNT NBR 6028:2003 - Informação e documentação - Resumo - Apresentação.
ABNT NBR 6034:2004 - Informação e documentação - Índice - Apresentação.
ABNT NBR 12225:2004 - Informação e documentação - Lombada- Apresentação.

Há mais normas que podem nos servir, mas as essenciais são as citadas.
Para quem quiser adquirir as normas, basta acessar http://www.abnt.org.br/  e clicar em "Normas Técnicas", depois em "ABNT catálogo". As normas não são gratuitas, mas vale a pensa adquiri-las.

Ficou em dúvida do que é uma lombada, uma folha de rosto, uma ficha catalográfica? Não perca nossa série "Estrutura do livro". Uma explicação do suporte material em que muitos textos importantes circularam e ainda circulam.



Revista Época usa minissaia cor-de-rosa de forma incorreta

20 de Fevereiro de 2010, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Podemos usar minissaia cor-de-rosa na faculdade?
Se escrever conforme a linha anterior, pode! hehehe

Leia o trecho abaixo:
 "Ao expulsar a estudante da mini-saia cor-de-rosa com a acusação de 'desreipeito à dignidade acadêmica e à moralidade', a Uniban dá uma demonstração da baixa qualidade pedagógica. A decisão é uma aula de truculência.
Em 22 de outubro, no campus da Uniban em São Bernardo do Campo, Geisy Villa Nova Arruda, 20 anos, foi hostilizada por uma horda de 700 colegas em função de um ultra-mini-vestido cor de rosa."
(Revista Época, 08/11/2009, Coluna de Paulo Moreira Leite, disponível em http://colunas.epoca.globo.com/paulomoreiraleite/2009/11/08/aula-de-truculencia-na-uniban/)

Temos três vocábulos para comentar: "minissaia", "minivestido" e "cor-de-rosa".

Pelo novo acordo ortográfico da língua portuguesa, nas formações com o prefixo "mini", se a palavra que segue for consoante, ela une-se ao prefixo e, portanto, fica sem o hífen. Caso a palavra seguinte ao prefixo iniciar com 'r' ou 's', dobra-se estas letras.
Portanto, o correto é "minivestido" e "minissaia".

E "cor-de-rosa"? O novo acordo prevê que nas locuções de qualquer tipo não se usa o hífen. Porém, "cor-de-rosa" está na lista das "exceções consagradas pelo uso". Apesar da Revista Época usar ora "cor de rosa", ora "cor-de-rosa", o correto, pela norma culta, é o segundo modo.

Poderíamos pressupor que essa revista de grande circulação ainda não estivesse usando o novo acordo, já que temos até 2012 para nos adequar.
Mas o uso de "cor-de-rosa" de duas maneiras demostra falta de padrão mesmo.

Infelizmente isso é comum em periódicos, nos quais se tem pouco tempo para fechar as matérias e colunas e menos tempo ainda para se revisar os textos.



Livro sobre revisão (3)

20 de Fevereiro de 2010, por Desconhecido - 0sem comentários ainda
Outro livro essencial para quem quer trabalhar com revisão é O livro: manual de preparação e revisão, de Ildete Oliveira Pinto.

 

O livro está esgotado, mas é possível encontrá-lo em alguns sebos.

 

 

Ao contrário de outro livro que indiquei aqui, do Luiz Malta; o livro do Ildete é bem prático.

 

Fala principalmente de como normatizar: caixa-alta/caixa-baixa, itálico, bold (negrito), numerais etc.

 

Traz também marcas de revisão (sinais que o revisor usa para indicar alterações) e lista de topônimos mais comuns.


O que muda com o novo acordo | hiato após ditongo em paroxítonas

20 de Fevereiro de 2010, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Continuando a falar sobre o novo acordo ortográfico...

Caiu o acento agudo (´) em i e u tônicos em palavra paroxítona quando i e u forem precedidos por ditongo.
Grafaremos as seguintes palavras sem o acento agudo:

  • baiuca
  • feiura
  • boiuna
  • cauila
  • maoismo
  • maoista

Mas o que são vogais tônicas?
É a parte da palavra que falamos com maior intensidade. Exemplo: feiura (agora sem acento!)

O que é ditongo?
É o encontro de uma vogal e uma semivogal na mesma sílaba (ai, oi, ei, au, ao, etc.).

Merece destaque:
Nas oxítonas, as vogais tônicas i e u continuam a ser acentuadas mesmo quando precedidas de ditongo. Exemplos: tuiuiú, Piauí etc.



Plural de substantivos empregados adjetivamente

20 de Fevereiro de 2010, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

De acordo com a norma culta da língua, o que está corretamente empregado?
Fitas cremes vs. fitas creme, luvas cafés vs. luvas café, tons pastéis vs. tons pastel.

Nesses casos, creme, café e pastel são substantivos empregados como adjetivos: fitas [cor de] creme, luvas [cor de] café, tons [cor de] pastel.
Em geral, adjetivos concordam em gênero e número com os substantivos: camisas amarelas, batons vermelhos, pote amarelo, bota vermelha etc.
O gênero pode ser masculino/feminino e o número, singular/plural.
Nos exemplos citados, a cor foi amarelo quando acompanhou um substantivo masculino no singular (pote).
Já quando o substantivo estava no plural e no feminino (camisas), o adjetivo que o acompanhava também estava no plural feminino: amarelas.
Portanto, ao empregar um adjetivo que é na verdade um substantivo empregado adjetivamente, não há variação de gênero e número, como é o caso de creme, café e pastel.
Então concluimos que estão bem empregados de acordo com a norma culta: fitas creme, luvas café, tons pastel.