Podemos usar minissaia cor-de-rosa na faculdade?
Se escrever conforme a linha anterior, pode! hehehe

Leia o trecho abaixo:
 "Ao expulsar a estudante da mini-saia cor-de-rosa com a acusação de 'desreipeito à dignidade acadêmica e à moralidade', a Uniban dá uma demonstração da baixa qualidade pedagógica. A decisão é uma aula de truculência.
Em 22 de outubro, no campus da Uniban em São Bernardo do Campo, Geisy Villa Nova Arruda, 20 anos, foi hostilizada por uma horda de 700 colegas em função de um ultra-mini-vestido cor de rosa."
(Revista Época, 08/11/2009, Coluna de Paulo Moreira Leite, disponível em http://colunas.epoca.globo.com/paulomoreiraleite/2009/11/08/aula-de-truculencia-na-uniban/)

Temos três vocábulos para comentar: "minissaia", "minivestido" e "cor-de-rosa".

Pelo novo acordo ortográfico da língua portuguesa, nas formações com o prefixo "mini", se a palavra que segue for consoante, ela une-se ao prefixo e, portanto, fica sem o hífen. Caso a palavra seguinte ao prefixo iniciar com 'r' ou 's', dobra-se estas letras.
Portanto, o correto é "minivestido" e "minissaia".

E "cor-de-rosa"? O novo acordo prevê que nas locuções de qualquer tipo não se usa o hífen. Porém, "cor-de-rosa" está na lista das "exceções consagradas pelo uso". Apesar da Revista Época usar ora "cor de rosa", ora "cor-de-rosa", o correto, pela norma culta, é o segundo modo.

Poderíamos pressupor que essa revista de grande circulação ainda não estivesse usando o novo acordo, já que temos até 2012 para nos adequar.
Mas o uso de "cor-de-rosa" de duas maneiras demostra falta de padrão mesmo.

Infelizmente isso é comum em periódicos, nos quais se tem pouco tempo para fechar as matérias e colunas e menos tempo ainda para se revisar os textos.