Vota em mim como "novo escritor" na Bienal do Livro?

8 de Agosto de 2012, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Oi! Estou concorrendo a participar de uma mesa de debates do Sesc na Bienal do Livro para falar sobre meu primeiro romance, que gostaria de publicar! Chama-se "A Menina que Ouvia Demais". 

Você pode me ajudar, votando em meu vídeo de 2 minutos sobre o livro, neste link!

Basta fazer um rápido cadastro com nome, e-mail, CPF e uma senha qualquer. 

Se quiser me avaliar primeiro, lendo um pouco de minha literatura, tem aqui. Para saber mais sobre este concurso promovido pelo Sesc, denominado "Escritores in Progress", consulte esta página.

Agradeço toda ajuda redivulgando este pedido! É muito importante pra mim! :D



Studying art: my books, courses and creations

22 de Abril de 2012, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Opa, texto em inglês? Pois é, escrevi originalmente para meu journal, ou blog, de meu perfil na rede social artística deviantArt, e, depois de quase 2 anos sem publicar nada aqui no Stoa, achei que seria legal publicar aqui também no meu blog tradicional. Espero que seja útil para alguém por aí. :)

Trata-se de um balanço bem abrangente de tudo o que tenho feito no mundo do desenho, pintura e literatura. Basicamente, cito os dois cursos que faço atualmente, de ilustração e perspectiva; conto sobre meu aproveitamento de sete maravilhosos livros que ensinam a desenhar; e cito dois romances que li e estou lendo.

Também tem uma parte megalomaníaca: Cito meus 27 projetos de ilustração e/ou pintura, cinco deles com rascunhos já publicados; conto sobre meu primeiro romance concluído e 14 outros projetos de livros (claro, devo me focar em um ou outro desses e outros devem ser abortados ou virar contos, como um até já virou).

Também cito 15 continhos e 30 poemas produzidos; e anuncio as próximas pequenas tarefas literárias planejadas.

====================================

Hello! I thought it could be a good idea to publish here my "art status", related to what I have been doing and learning related to arts, and how.

1) COURSES

I´m taking two courses at Quanta Academia de Artes, here in Sao Paulo, Brazil:

1.1- Illustration, by Rodrigo Yokota "Whip" (1 year, begun last November).

1.2- Perspective, by Octavio Cariello [aka Cucomaluco] (4 months, begun last March).

1.3- I also finished last March the Quanta 1-year basic course on Drawing, in my case taught by the animator Carlos Luzzi.

(- I´m also on the 4th semester of a Japanese course, but nothing to do to arts, hehe.)

2) ART BOOKS STUDYING

2.1- "Anatomy for the Artist", by Sarah Simblet, photos by John Davis.

I´ve finished almost all the reading itself (just a couple of pages left), with many drawing studies based on the book and reflections based on my own body; still many drawings to draw later, based on the photos and anatomy drawings here). I bought this book when I saw it been used by a classmate at Quanta, and I heard the teacher praising it.

2.2- "Perspective Drawing Handbook", by Joseph d´Amelio.

It´s an amazing book about perspective LuaPrata91 (Ariane Soares) proposed me. Really feel that I´m beginning to understand this matter now, with all the reasons of everything!!! Read about one third of its almost 100 pages. But I need to practice much more perspective drawing too, either by observation and/or from imagination.

2.3- "The Figure: The Classic Approach to Drawing & Construction", by Walt Reed.

This one was proposed by Ladyashmire (Viverra), when she critiqued my sketch of a halfling. So, at first I had read a few pages available as preview on Amazon, and I got impressed on how the author can make easy, understandable and possible the figure drawing in all different poses and viewpoints you´d like to! I´ve read 30 of its about 140 pages, since last week, when finally it got delivered from Amazon (after more than 1.5 month of wait!), with the perspective book and also with "Animal Minds".

2.4- "Fun with a Pencil: How everybody can easily learn to draw", by Andrew Loomis.

Wow!! One can really understand and find out how to draw any figure, any viewpoint, using this precious masterpiece! Carefully studied 26 of its 120 pages until now, drawing each one of the recommended exercises. Books by this legendary author were suggested to me by LuaPrata91 too.

His 6 books really seem excellent to learn!!! You can find them usually in pdf; if you can, buy them, either used or in the new reprinted versions. His other books, on which I gave just an eager sneak peek, are on my reading row: "Figure Drawing for All it´s Worth"; "Drawing the Head and Hands"; "Sucessful Drawing"; "Creative Illustration"; and "The Eye of the Painter".

2.5- "Dynamic Wrinkles and Drapery", by Burne Hogarth.

Amazing and unique to learn how to draw clothes on the figures!! So helpful! The fact is that many drawing methods teach you how to draw the human figure, but only naked ones! Well... Actually in the most of the final drawings and paintings we see, people do wear clothes, don´t they? So don´t understimate this knowledge and get right now this preciousness! Until now, I ´ve read (fast) about 50 of its 140 pages.

Again, books by this legendary author were suggested by Ariane Soares. I have on hand also his "Dynamic Figure Drawing" (but just one third) and "Drawing Dynamic Hands", although my teacher Cariello don´t like his method to teach anatomy. You can find them in pdf around too.

2.6- "The New Drawing on the Right Side of the Brain", by Betty Edwards. This book was suggested to me by my friend Paulo Fradinho. I´ve read/studied about half of it since last year, but Ariane Soares told me she thinks it´s not that good to draw new things, but rather to make good copies...

2.7- "The Nude Figure: A Visual Reference for the Artist", by Mark Edward Smith.

I´ve drawn about 40 of the 200 pages of this B&W photo book, which comprise 318 poses, most of them of women. The interesting fact here is the poses are divided by categories: standing, seated, reclining, kneeling, bending, crouching, in movement and some others. I bought this book after seeing it at the art school, to be used as reference by the students.

But now, when I want to practice something like that, usually I go to one of these two websites: Quickposes or Pixelovely, which force me to draw really fast, from 30 seconds to 2 minutes, because I think I need improve a lot my speed. I was taking about 1 or 2 hours to make a single drawing in that book earlier... Other than that, I think it would be good to go back to the life drawing classes I took last year.

3) NOVELS READING

- "Xogum: A Novel of Japan", by James Clavell - half of its 1,000 pages read this month.

- "Kyoto", by the Nobel prize winner Yasunari Kawabata - read last month; review published in Portuguese on my blog for the Literary Challenge organized by Viviane Lima.

===============

CREATIONS

4) DRAWINGS AND PAINTINGS

For sure, to learn how to make art, we need at least to try making arts. Along many previous years, I just tried to do that using pencil, without any instruction. Since last November, I started to try that using watercolours, after some tips by my new teacher of illustration Whip.

But nowadays I´m not that confident to finish more arts without more studying, mainly through the books quoted above (and my ongoing courses). Although I know that to learn I need to put all that into real practice and my girlfriend asks me to finish more arts to make a portfolio...

In fact, I think I need to alternate studies and finished arts. Let´s try to ballance all that. You can see what I´ve already could done in my gallery; 5 works in progress, you can check here. But I got so many other projects I´m dying to finish (or begin) since months ago. Well, if I finish 3 or 4 each month, I can do all of them until the end of 2012!

4.1- SINCE APRIL

1- Emilia!

2- Leave us dragons alone!

3- Good Friday

4 - Chinese Dragon and his Friends

5- Audrey Hepburn

6- Madonna

7- Marilyn Monroe

(these 3 pretty girls were suggested by my girlfriend Renata Milan)

8- The Beatles (suggested by my friend Bruno Andreotti)

9- Indiana Jones (suggested by my friend Rafael Roldan)

10- Elvis Presley

11- Dodge-Chrysler car contest

12- Hahnemuhle cuisine watercolour contest

4.2- SINCE FEBRUARY

13- Halfling rogue in action

14- "Save the Last Dance for Me"

15- Against Archer Papers

16- Natural Evil Brushes

17- The Fairy and the Humming Bird

18- Hands Battle!

19- Tiger (suggested by curly0193)

20- Werewolf (suggested by be-a-sin, after my own suggestion to her)

4.3- SINCE DECEMBER

21- Alphonse and Edward play basketball

22- My girlfriend with shorter hair

23- Ares, her little dog

24- Jacob Black

25- Frog playing guitar

26- Flowers

27- Fruits

(the last six were others of my girl´s suggestions)

5) BOOKS AND LITERATURE WRITING

Since my childhood, I got the wish to become a writer someday. So...

5.1- Last January, I finally could finish my first novel: "The Girl who Heard Too Much"!!! I began its first lines on handwrite, during my stay in the hospital, in May 2010. It´s comprised of about 85 pages, if printed in Times 12, 1.5 line spacing. It´s already reviewed by some friends (including an professional reviewer of literary books and an illustrator of books for children) and revised afterwards. I´ve proposed it to almost 20 publishers last month.

5.2- I have other 10 long stories in project to write. One of them with 25 pages written, story itself or for plans; other 5 have a couple of pages and/or planning written too. And 3 of them I had begun in my teenage years. (Of course, I´ll need do choose a couple of them and others may become short stories or be aborted.)

5.3- There are also 4 non-ficcion projects of books of mine in the row. One of them is based on my essay written to got my bachelor´s degree on Journalism; other in my project when I tried a master´s degree; and another in my writings and experiences during my two trips to Japan.

5.4- For the time being, I´ve written 15 very short stories and 30 poems (one of them with 13 chapters and 11 pages, named "Repressed Romanticism"), since my teenage years. Among other really short ideas published for example in the blog Impulses Expelled, which I created with my friend Fernando J. Vieira.

5.5- As next task, I´m going to correct the English grammar in my translated poem "Playing Marbles" (with the precious help given by CJWilde). It´s my first literary attempt in English.

5.6- Afterwards, I plan to translate to English also the poem "Slaves of Nowadays".

5.6- Finally, I want to write my first poem originally in English, named "Ffff...". I have at least a draft for the time being.

==

(Wow! I took more than 5 hours today to write this journal! I hope this can be really useful later, for me and for you.)

I published another journal in January about other artistic experiences of mine: "The Challenge of Creation".



Bastidores, barulho e imaginário africano na estreia do Brasil na Copa 2010!

14 de Junho de 2010, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Juro que me esforcei pra assistir à Copa do Mundo. Bem, ao menos à estreia do Brasil. À fraca estreia do Brasil. Contra um time café com leite em Copas (2a participação, após 1966), um país de miseráveis com um ditador excêntrico como governante.

Assisti ao vagaroso primeiro tempo, pelo menos (azar), inteiramente. Bom, cultura geral durante o almoço. "Bom que faz companhia pro seu pai", diz minha mãe, liberada do serviço no banco apesar de ter horror a futebol. A mana caçula diz que torceu pros norte-coreanos.

Vuvuzuela

Minha mãe mostrou horror principalmente dos barulhos das cornetas "vuvuzuelas" e coisa que tal, que a TV britânica BBC pensa até em cortar das transmissões. É realmente engraçado ficar ouvindo o barulho desse negócio o tempo todo durante o jogo, um som transmitido como se fosse trilha sonora da partida, huahua.

Parece que a versão para iPod e iPhone está fazendo sucesso também, eheh. (Eu também testei e brinquei com o aplicativo umas vezes durante o jogo, rs, mas seu barulho não chega perto do original, o que fez minha mãe até ficar feliz com o meu.) E eu soube só hoje que isso é um negócio típico da África do Sul.

África

Aliás, se eu vejo algo bom nessa história de Copa do Mundo 2010, é exatamente o lugar: pela primeira vez, na África! Claro, na África do Sul, que é o país com maior chance de alguma estrutura decente no continente. Mas é mesmo ótimo, porque assim o mundo pode ver a África com outros olhos (aliás, até prestar atenção um pouco nela, porque geralmente esse continente é simplesmente um ilustre desconhecido para todos nós, não? ou vc vai dizer que sabe onde fica Gana? Zâmbia? Ruanda?).

Sim, olhar a África com outros olhos. Porque nas raras vezes em que se pensa na África, só lembramos de pobreza, fome, Aids, etc. Aliás, fui buscar uns dias atrás na locadora algum filme pra assistir que não fosse norte-americano, estadunidense. To de saco cheio dessa dominação cultural, e tenho até um projeto pessoal a respeito que vou apresentar em detalhes em breve.

Hotel Ruanda

Bem, o fato é que, buscando algo o mais exótico possível, o melhor que pude encontrar na locadora do bairro foi "Hotel Ruanda", sobre o massacre hutus sobre tutsis no país, e a história dramática de um hotel grã-fino que buscava abrigar perseguidos, já que até os países ricos e ONU largaram mão do lugar (por mais que indivíduos isolados não africanos fizessem o máximo pra ajudar, como da Crz Vermelha e ONU; um jornalista gringo,, que recebeu ordem pra voltar, afirmava-se "envergonhado").

Foi horrível, pesado demais assistir a esse filme (mais duro que mtos filmes de terror). Mas ao menos deu pra sentir um gostinho da África, incluindo nomes de pessoas e umas dancinhas das crianças. E, claro, sua dura realidade. Mas espero achar algum filme mais divertido do lugar ainda. Afinal, o Brasil também não é só dureza, apesar dos filmes daqui que ficam famosos lá fora.

Aliás, parabéns à Folha pela nova seção na primeira página "Boa Notícia", uma ideia que eu já tinha antes desde 2005, mas não coloquei em prática nem por blog.

Sobre o jogo enfim

Pra não dizer que não acabei de falar sobre o jogo de estreia do Brasil, realmente fui azarado em assistir todo o lerdo primeiro tempo e perder boa parte do segundo. Foi divertido o gol "sem querer" que abriu o placar, do Máicon.

O gol do Elano foi bonito, e foi mesmo irônico ele ter sido substituído logo em seguida. Mas meu pai disse que o gol de contra-ataque dos norte-coreanos, que completou 2 a 1 pro Brasil, foi o mais bonito de todos. Pena que perdi justamente esse...



Minha descoberta dos românticos romances de banca

27 de Maio de 2010, por Desconhecido - 0sem comentários ainda


Olá.

Lá vai meu comentário/resenha sobre a leitura de janeiro de 2010 proposta pelo chamado Desafio Literário, organizado pela Vivi, do blog (ai!)Romance Gracinha.

(Este post foi publicado originalmente em outro blog, e ganhou 42 comentários!)

 

Pra começar bem o ano (ahah), a sugestão foi ler um chamado “romance de banca”. Leia-se: Julia, Sabrina, Bianca, Mirela, etc. Até então eu nunca havia dado muita atenção para eles. Duas razões principais: parece (e é) coisa de mocinha e também parece literatura “pobre”.

 

No entanto, resolvi render-me à minha curiosidade científica (eheh) e fazer a leitura sim. Aliás, isto ajuda muito a compreender melhor o universo feminino, pois elas não adoram tanto este tipo de leitura?

 

Confesso que gostei. Gostei muito, como há tempos não apreciava leitura de livros. Talvez desde a adolescência até, quando meu índice de leitura de histórias em livros era trocentas vezes maior.

 

Livro com história. Sim, porque tenho lido muito mais livros teóricos do que de histórias nos últimos tempos, quando leio algum livro qualquer inteiro.

 

O fato foi que li, no prazo recorde de uns quatro dias após emprestados pela Rê, autora do blog O Gato Risonho, dois livros de uma vez. E somente em meus trajetos de ônibus e metrô do jornal para casa e vice-versa, tentando conciliar com a básica leitura do jornal, claro. Aliás, é impossível ler jornal em transporte público lotado, mas livrinho dá ;).

 

E fiquei tão curioso na leitura, que acabei na verdade adiantando em dezembro o que deveria ler em janeiro, eheh. E li dois, apesar da proposta de ler só um!

 

Bem, na verdade, acho que não é segredo que os livros “cult” são frequentemente chatos pra burro. É claro, não vou desistir de lê-los, eu que sempre achei tão importante esse tipo de leitura, mas... Putz, diversão e prazer são coisas muito importantes, além do intelectualismo, não?

 

Eu mesmo comecei a ler há um tempo atrás “Cem Anos de Solidão”, do conceituadíssimo Gabriel García Marquez... Fui até a metade de suas quase 400 páginas, mas parei. Tudo bem, era profundíssimo e cheio de recursos poéticos, genial, mas comecei a cansar. Espero voltar um dia.

 

Seleção dos títulos

 

Vamos então aos livros em si. Li primeiro “O Anel da Vida” (116 p.), de Loreley McKenzie, da coleção “Amores Eternos” (que singelo!), da Mythos Books. Em seguida, li “Lábios de Mel” (186 p.), de Deanna Mascle, este sim da mais famosa coleção “Sabrina Sensual” (uau!), editora Nova Cultural.

 

Os dois livros foram escolhidos, dos que me foram oferecidos, baseando-me no nível de romantismo, aventura e sensualidade que transpareciam. Para isso, a imagem da capa e a sinopse da contra-capa (ou quarta capa, nunca sei, aquela outra visível, atrás do livro), foram fundamentais.

 

Nada de coisa comportada, como alguns outros pareciam, estilo “família” demais.

 

“Lábios de Mel”

Este me chamou mais a atenção, por isso começo por ele, apesar de ser o segundo que li.

 

Para começar: o título super-genérico não tem nada a ver com a história, como parece ser mesmo comum para este tipo de publicação. Ok, uma única vez a mocinha da história faz a comparação com os lábios do mocinho, mas enfim...

 

Aliás, cumpre informar que o título original, em inglês, era “Moon Hunter”, ou seja “Caçador da Lua”. Sinto que teria muito mais a ver, porque a história trata de aventura pela floresta pelos EUA, em época de Conquista do Oeste (ou Faroeste).

 

Isso é algo que me chama a atenção, claro, pois fui jogador de RPG por muitos anos, por toda a adolescência. RPG: jogo em que se interpretam personagens, com ficha, números, dados, narração, e frequentes combates com seres perigosos.

 

A história em si é divertida, envolvente. Novelinha básica: mocinha encontrada em apuros na floresta, com sua filhinha fruto do casamento zoado com um cretino. Ela acaba conhecendo um moço protetor que faz de tudo para protegê-la, super bem intencionado. Ele parece ter apenas a nobre missão de proteger os fracos e comprimidos...

 

Dilemas amorosos

 

Mas claro, Mack, o gentil e cavalheiro mocinho da história, acaba ficando apaixonado pela moça, enquanto a acompanha até levá-la em segurança. Apesar de não querer admitir isso. E fica naquele vai-não-vai.

 

O moço fica no dilema de querer apenas cumprir sua missão de proteção, tentando se recuperar de um passado dele, em que teria falhado vergonhosamente. Além disso, ele preza muito sua vida independente para formar laços com qualquer mulher que seja.

 

Acho que este é um ponto bem importante: de fato os rapazes costumam enfrentar este dilema mesmo: sua independência e liberdade versus envolver-se (até que ponto?) com a garota que mexe com eles?

 

Mas a mulher que ele acompanha (e cuida dos ferimentos dele, além de também ajudá-lo contra uns selvagens que aparecem, pois ela é durona mesmo!) é cada vez mais irresistível para ele.

 

Por seu lado, a moça, Rebeca, só queria saber de cuidar de sua filhinha. Depois de sua experiência anterior horrível, não quer mais nunca saber de homens. Apenas tolera o tal Mack para seguir protegida pela floresta até algum lugar mais seguro.

 

Mas ela acaba ficando balançada, enfim. A história ondula entre as dúvidas amorosas dos dois protagonistas. Foi uma novelinha e romance (no que se trata de amor, claro), gostosa de acompanhar. Inclusive há de fato trechos picantes, eheh. Interessante esse tipo de narrativa com detalhes e descrições do percurso amoroso. Não conhecia, mas hiper-aprovei, apesar dos exageros caricatos às vezes.

"O Anel da Vida"

 

Bem, se citei no fim “exageros caricatos” para o outro livro... “O Anel da Vida” sim, é cheio deles. Tanto para a descrição dos personagens, excessivamente lindos e maravilhosos, além de suas emoções, barrocas, derramadas.

 

Clichês não faltam, mas sempre funcionam.

 

A começar, temos a Cinderela: Martha, totalmente explorada pelos irmãos e pela mãe, demônios em pessoa. Eles a exploram, o chefe da empresa também, os colegas de trabalho também.

 

E ela sem coragem alguma de revidar. De ter iniciativa para mudar esta situação. De exigir justiça. Uma fraca.

 

Mas eis que, assim como acontece nas histórias do Homem-Aranha, em que o estudante CDF e alvo de todos os bad boys da escola Peter Parker vira um fortão e ágil super-herói; ou mesmo Harry Potter, em que o também explorado pela “família” e órfão garoto vira um feiticeiro, pré-destinado a salvar o mundo dos bruxos e ser o maior de todos, mesmo ainda criança...

 

Algo acontece para a pobre e medrosa Martha. Ela ganha um anel (sim, o do título do livro, que agora sim tem a ver com a história, huahua). Um anel que tem o poder de dar força interior, coragem, para que a moça vença todos os seus desafios.

 

Bom, essa história de misticismo, esotérico, foi algo bacana que apareceu também, que também me chama a atenção, lembrando de meu histórico de jogador de RPG, em que também muita magia é obrigatória.

 

Mulher moderna

 

Um diferencial interessante para a história é que trata da vida da “mulher moderna”, que busca sua independência financeira e nos demais setores da vida (li algo assim mesmo sobre esse tipo de romance de banca em alguma matéria por aí).

 

Isso mesmo: mostra como, ao fim e ao cabo, ela consegue ser bem-sucedida em todos os aspectos de sua vida: não só o amoroso, como foi mais centrado o romance que li da “Sabrina Sensual”, mas também o lado profissional e familiar.

 

Aliás, o lado profissional é bem importante mesmo nesta história; é claro, bastante interligado com o lado amoroso e místico, até porque a mocinha da história consegue o trabalho novo via anel místico e via um belíssimo “Senhor Perfeito”, como ela o chama em pensamento.

 

Tem também um lado de suspense policial, mistério, que a mocinha acaba também tendo de lidar no seu trabalho, que a coloca até em perigo.

 

Ou seja, nisso tudo, o lado de romance “romântico” acaba sendo mais um detalhe. Mas bem derretido e caricato, com certeza.

 

Posso até chamar a história de bobinha, mas é divertida, curiosa, completa, e não me deixou parar de ler nem um instante, até terminar, eheheh.

 

Além de ter o mérito de chamar a atenção para o sucesso profissional feminino e até mesmo de fazer os leitores (e especialmente as leitoras, ahah) refletir sobre as besteiras que têm feito em sua própria medrosa vida pessoal, profissional, amorosa, etc. Neste sentido, é bem um livro de auto-ajuda sim. ;)

 



Livros pra ouvir: inglês e português

28 de Abril de 2010, por Desconhecido - 22 comentários

Uma boa ideia para quem tem ou está com dificuldades de leitura é ouvir livros. Sim, existem os audiolivros, que você pode ouvir até em seu MP3 player.

 

No entanto, várias das melhores obras e sites-projetos de narrações de livros que encontrei são de livros em inglês.

Para os brasileiros, isso restringe um tanto a quem entende bem inglês, claro. Para quem entende mais ou menos... Vale o esforço para treinar!

Há também livros lidos em português, mas boa parte deles são pagos, ou não tenho interesse neles, ou são piratas.

Projetos em obras em inglês

Os melhores projetos/sites em inglês são dois: Librivox e Free Classic Audio Books.

Ambos são ótimos. O Librivox é mais estruturado, com políticas de voluntariado transparente, e com mais de 3.000 livros publicados. Pesquise e veja (e ouça!) se encontra algo que você goste nessa infinidade de livros.

Neste primeiro, encontrei:

- Vários contos de Sherlock Holmes;
Les Misèrables (Os Miseráveis), de Victor Hugo, em francês e inglês, bela iniciativa social que mostra e questiona a situação dos pobres;
A Divina Comédia, de Dante Alighieri, clássico italiano gigante sobre uma jornada pelo inferno até o Paraíso;
- E ainda 1.001 Noites, a longa sequência de histórias árabes que entrou pra valer no imaginário ocidental, e que gira em torno da esperta Sherazade e do rei Shariah.

O Free Classic Audio Books tem a vantagem de mostrar logo de cara quais são suas quase 30 obras oferecidas, em 3 páginas (sem ter que ficar pensando qual procurar). Tem um visual mais amador, com vários anúncios do Google Adsense em volta, além de anúncios para obras pagas a US$ 10. Pode valer a pena também.

Veja quais achei bacanas lá:

War of the Worlds (Guerra dos Mundos), de George Orwell, que assustou muita gente achando que havia uma real invasão de ETs;
Alice in Wonderland (Alice no País das Maravilhas), do Lewis Carrol, super na moda atualmente, agora que o filme estreou;
Romeu e Julieta, o clássico mais que romântico e trágico de William Shakespeare;
Sonetos de Shakespeare, para quem ainda não se cansou dele;
Robinson Crusoe, de William Defoe, bela e clássica história de aventura do náufrago;
Pride and Prejudice (Orgulho e Preconceito), de Jane Austen, clássico precursor da "literatura feminina" ou algo do tipo (precioso de minha querida )
Frankenstein, de Mary Shelley --muita gente conhece derivados mas não o original.

Em português

Tem o site da Universidade Falada, com vários livros em português à venda. Entre uns legais que achei nessa categoria, tem uns do Sherlock Holmes, como o Estudo em Vermelho.

Também tem uns nesse site, bem poucos e a maioria chatos, gratuitos. Um que pareceu melhor éABC dos Mitos. Mas tem que se cadastrar pelo visto para baixar.

Ouvi de outro lugar dois livros espíritas, o "Nosso Lar", que seria a narração de um espírito sobre como é a vida e organização sócio-econômica depois da morte; e o "Livro dos Espíritos", com várias perguntas e respostas sobre a doutrina espírita.

(Infelizmente não acho os links desses dos que baixei; só que foi chato demais ouvir o "Nosso Lar" com voz automática de software gerador de áudio, tome cuidado com esses áudios.)

O site da BibVirt também disponibiliza vários livros clássicos em português, daqueles que se transformaram em chatice pra gente especialmente por ser "livro de escola" ou "de vestibular". Em todo caso... esse site está agora em manutenção.