Resenha(?) do documentário SOMOS1SÓ

31 de Outubro de 2019, por Paulo Ricardo da Silva Borges Batista

Ficha Técnica

Título: SOMOS1SÓ Gênero: Documentário País de origem: Brasil Ano: (?) Diretor: Toni Venturi(?) Duração: 52 min

O documentário pretende discutir as relações humanas de uma forma muito simples. Ademais falará de cultura e dispõe de filósofos, antropólogos e professores que se lançaram neste desafio de comentar os tópicos. No início do episódio a trama irá seguir os rastros de um macaco e um homem em uma conversa quase que paranoica acerca de grandes questões da humanidade (ainda) não decifradas e que geram debates até os dias de hoje. Além disso, essa comunicação entre as personagens é interrompida para que os entrevistados possam salientar seu ponto de vista, e também para apresentações pitorescas, daquilo que seriam grandes personagens de nosso tempo (por exemplo, Freud) que em uma função metalinguística falam de si mesmo e se auto explicam. Três planos são apresentados, outrora nem sempre estão em simbiose e podem apresentar-se como uma peça quebrada ou até mesmo incrementada de uma forma violenta na narrativa.

O início do documentário aponta para questões de evolução entre os homens e os animais, e em amplos diálogos há sempre uma intervenção de algum estudioso ou de personagens históricas supracitadas aqui. Inicialmente, é possível perceber que o homem se depara com um macaco (gorila?) em uma jaula, neste momento ele resolve fotografar a criatura e falar com ela. Neste diálogo o homem diz que ele (macaco) não é capaz de falar e não é evoluído, sem cultura e assim por diante. O macaco sai da jaula e juntamente com o homem vai conversando e pensando o mundo a seu redor. O animal em muitos momentos parece ser muito mais inteligente que o homem, e talvez, a proposta do documentário seja justamente essa, colocar o homem como a espécie humana e o macaco como toda a raça animal, porém o animal na trama tem voz e parece ser muito superior a raça humana.

Neste sentido, há um desprezo a raça humana na narrativa, sem deixar de considerar que é uma raça importante para a evolução e que conseguiu alcançar grandes feitos através de um pensamento estruturado, e uma prática predatória, que possibilitou a espécie dominar outros seres e domesticá-los para a servidão eterna. Ademais, os comentaristas na série pretendem introduzir não só questões que duvidem as práticas humanas, mas projetos que visam pensar novas formas de viver, e até mesmo de respeitar as demais espécies e pensar a própria natureza humana dominante.

Alguns dados científicos são apresentados através de uma narradora. Eles falam a respeito da destruição de nosso planeta e como estamos lidando com tais causas. As pessoas também têm voz na série e podem falar sua opinião sobre o mundo e os debates propostos. Passado a metade do documentário, uma das principais questões levantadas é a do consumismo e como lidamos com isso. Nesta etapa teremos a participação de uma psicóloga que vai falar sobre o vazio humano e como ele funciona na sociedade. Sendo assim, ela explica que quanto mais vazio somos internamente, mais temos desejos de compra e menos valorizamos aquilo que temos internamente.

O macaco e o homem também falam sobre essas relações e a essa altura do documentário (mais da metade do filme) ambos já conseguem falar de igual pra igual e até mesmo compartilham comidas e telefones móveis em uma relação de respeito e igualdade que transcende qualquer naturalidade humana.

Por fim, gostaria de evidenciar que o documentário começa de uma forma extremamente fraca e vai se desenvolvendo ao longo da narrativa. Inicialmente parece até pitoresco e ridículo a relação homem-animal no filme, e isso se torna extremamente secundário quanto aos especialistas que irão comentar uma série de assuntos. A película também peca por não abordar somente um assunto, mas tentar abarcar uma série de narrativas deixando todas elas com pontas soltas, incompletas e muito superficiais. Os assuntos são de interesse bastante comuns e podem ser vistos pelas mais diversas pessoas, no entanto não se aprofunda nenhuma questão e não há referências que nos leve a buscar algo além do que ali está sendo tratado.

Referências Bibliográficas

Instrumental SESC Brasil. A Cultura e a Casca de Banana – Somos 1 Só | Episódio Completo. Acesso em: 23 de outubro de 2019. Disponível em: .

Olhar Imaginário. Documentários. Acesso em: 23 de outubro de 2019. Disponível em: .

Sesc TV. Filosofia POP. Acesso em: 23 de outubro de 2019. Disponível em: .

TV Cultura. TERRADO1S. Acesso em: 23 de outubro de 2019. Disponível em: .

TV Brasil. Retratos de Fé. Acesso em: 23 de outubro de 2019. Disponível em: .



Resenha(?) do documentário João Gonçalves: Forte e Poderoso

31 de Outubro de 2019, por Paulo Ricardo da Silva Borges Batista

Ficha Técnica

Título: João Gonçalves: Forte e Poderoso Gênero: Documentário País de origem: Brasil Ano: (?) Diretor: Toni Venturi Duração: 26 min

João Gonçalves Filho foi um nadador e jogador de polo-aquático brasileiro. Ele nasceu em Rio Claro (SP) em 07 de dezembro de 1934 e morreu em 27 de julho de 2010. Participou de diversas competições esportivas, entre elas os Jogos Olímpicos de 1952 e 1956, ambas edições como nadador; e também atuou em 1960, 1964 e 1968 como jogador de polo aquático. João também atuou como técnico da seleção de judô do Brasil nos Jogos de Barcelona em 1992.

Para o documentário do esportista diversos parentes próximos a ele são convidados para homenagear a pessoa que ele foi e contar detalhes da sua vida que são pouco conhecidos. A trajetória dele é narrada pelos irmãos e diversas fotografias pessoais são apresentadas, a fim de autenticar ainda mais a história contada. O narrador do filme ressalta principalmente o lado do esportista que o aproxima das pessoas comuns e revela que Gonçalves tinha uma vida muito simples e teve de trabalhar muito quando jovem. Ademais, seu irmão, Nivaldo Gonçalves, conta que desde pequenos eles iam para um rio (chamado de curvinha), onde eles podiam nadar. Sua irmã Antonieta Gonçalves confirma a história com uma risada tímida e eles dizem que até saltavam o muro da escola porque lá tinha uma piscina. O Horto Florestal de Rio Claro foi o principal local de aprendizado de todas as práticas esportivas.

Quando pequeno recebeu o apelido de “peixinho”, claramente identificado pelo seu amor pelos esportes aquáticos. Manoel do Santos relata que quando via o colega de profissão nadar percebia que ele não estava competindo com os outros nadadores e sim com ele próprio. Farid Zablith e Wilma Gonçalves complementam o documentário dando detalhes exclusivos da vida de atleta de João, e ressaltando que ele tinha grandes habilidades como nadador e era um homem muito bonito e assediado. Wilma conta que jamais deixaria um homem daqueles só e por isso se casou com ele.

Os participantes do documentário são todos atletas, ex-atletas e familiares do nadador. Um dos aspectos importantes a ser contado é que ele havia feito um curso de Jiu-Jitsu por cartas e levou essa modalidade esportiva para o interior de SP, onde podia mostrar aos seus amigos e incentivar homens a apostarem e ganhar dinheiro com isso.

O documentário se divide em algumas partes. Sendo a primeira a apresentação de João, a segunda relata o João – Aquapolista, onde é apresentado o lado dele futebolista nas piscinas, com muitas odes e elogios por parte de seus parentes e conhecidos. A terceira parte mostra Gonçalves no Judô, e os treinadores ressaltam que ele já tinha uma certa idade, no entanto era alguém muito forte e bem preparado fisicamente.

Por fim, é importante ressaltar que todas as imagens apresentadas no filme são belíssimas e até mesmo as reproduções são muito bem elaboradas. Recortes de jornais e os esportes praticados são colocados como plano de fundo para a fala dos parentes e ajudam a dar veracidade aos depoimentos prestados. Outrora, os grandes elogios por parte dos amigos e parentes e os relatos que contam de superação do atleta acabam por deixar o filme algo muito meloso e extremamente chato e cansativo. Pois, em alguns momentos parece que João sequer era humano e sim um deus. Os relatos parecem querer colocar o atleta em um pedestal, que não existe. Entretanto, se o documentário tivesse focado em uma parte mais biográfica do autor, revelando as nuances e contradições dele, talvez teríamos paciência e vontade para pesquisar e acreditar na história de um grande atleta e alguém que também tem aprendizados através de suas perdas e fracassos, no entanto o que nos resta no documentário de João é um lugar comum, falas bestiais e simplórias que não são e nunca colocarão esse atleta em um nenhum pódio. Também ressalto as falas que João tem em alguns momentos do filme, entre elas um grito de guerra: “EU SOU FORTE E PODEROSO”, repetido inúmeras vezes por um de seus alunos, e no final do filme ele fala que somente os melhores irão para a Olimpíada. Todas essas falas são ditas com um sorriso no rosto e um certo ufanismo.



Resenha(?) do documentário Paulo Freire Contemporâneo

31 de Outubro de 2019, por Paulo Ricardo da Silva Borges Batista

Ficha Técnica

Título: Paulo Freire Contemporâneo Gênero: Documentário País de origem: Brasil Ano: (?) Diretor: Toni Venturi Duração: 52 min

Paulo Reglus Neves Freire, nasceu no Recife no dia 19 de setembro de 1921. Ganhou fama no Brasil e no mundo pelo Método Paulo Freire . Na década de 70 teve de sair do país e se exilou no Chile, Bolívia, Suíça, Tanzânia e Guiné-Bissau. Freire era católico e formou-se inicialmente em direito. Recebeu cerca de 39 títulos de Doutor Honoris Causa em faculdades do mundo todo.

O Diretor Toni Venturi nasceu em 21 de novembro de 1955. É cineasta e morou no Canadá de 1976 a 1984, onde se formou bacharel em artes fotográficas pela University of Ryerson em 1984. Também se graduou em Comunicação social, na modalidade cinema, na Universidade São Paulo, em 1987. (ALVES, B. J. 2017, p. 1)

No documentário de Toni Ventura o educador é apresentado como um grande intelectual e contribuinte da educação brasileira, principalmente nas classes mais oprimidas da sociedade. Além disso, Venturi convida para compor seu filme pessoas que pudessem contribuir com sua experiência para ajudar a remontar a trajetória do professor. Entre eles: as filhas do educador, alunos que tiveram contato direto com o método e principalmente amigos e professores da educação básica que pudessem falar acerca das dificuldades que tiveram com essa forma de educação e como ela contribuiu para que o professor pudesse enxergar o discente de uma forma igual e respeitar aquilo que ele tem como trajetória de vida. Dentro dessa perspectiva, o que podemos notar é uma revolução que se fez na educação, e um entendimento por parte dos novos professores de que a bagagem cultural e os aprendizados da vida de um aluno também é fundamental para compreender tudo aquilo que ele pode aprender, suas dificuldades e as melhores formas de colaboração para a troca de conhecimentos. Desta forma, nada deveria ser descartado ou repreendido, não existia a concepção de que o professor era o ser que detinha todo o conhecimento acerca de tudo e todos.

Nesta perspectiva podemos observar o relato de um dos estudantes que salienta para as novas formas de aprendizado que adquiriu na escola e como elas foram importantes para a aplicação e aquisição de uma nova forma de plantio na horta de sua casa. Neste depoimento podemos notar que a mãe do aluno também foi afetada pelo aprendizado em sala de aula e diz que aprende novas formas de ensino através de seu filho e educação que ajuda a agregar novas formas de pensar o mundo e mudar a realidade social de cada educando.

O depoimento dos professores é imprescindível para compreender a relação em sala de uma e como a observação e respeito por parte deles é recebida pelos estudantes, neste sentido os professores que educam alunos de classes sociais mais pobres e em estados desconhecidos do Brasil relatam que inicialmente tinham dificuldade em entender o porquê muitos alunos da roça não sabiam sequer usar o banheiro de sua escola e como isso estava totalmente relacionado com a educação e a relação desses indivíduos com uma sociedade mais urbana onde isso sequer era questionado, sendo assim, estes professores se debruçam sobre as teorias freirianas e suas obras para que pudessem aprender a lidar com essas situações e superarem as dificuldades através do mútuo entendimento. Os alunos de Paulo Freire relatam que suas aulas foram fundamentais para criar um pensamento crítico e autonomia para que eles pudessem aprender a ler e escrever da forma que liam e escreviam seu mundo através da relação de trabalho.

Por fim, o filme nos relata a influência que o brasileiro conseguiu ter em países como a Suíça e Portugal. Neste sentido, foram criados eventos, cátedras e grupos de estudo que facilitam um novo olhar sobre a educação brasileira e novas formas de educação que visam a inclusão de todos em amplas realidades possíveis. Ademais, a produção faz questão de revelar alguns depoimentos de Freire que complementam as falas e mesmo o depoimento de todos os presentes na gravação. Alguns programas do educador São citados brevemente para contemplar suas atividades culturais. Um dos principais é o MOVA , que surge junto as camadas mais populares da sociedade em busca de uma nova visão educacional. Freire também foi convidado para ser secretário de educação em São Paulo durante os anos de 1989 – 1991, no mandato de Luiza Erundina (PT) , no período de 1989 – 1992.

Referências Bibliográficas

PLÁCIDO, L. R; SOUZA, T. B. O método Paulo Freire: primeiras aproximações. Pedagogia: Garça, Ano XVI – Número 28 – janeiro de 2017.

REIS, P. J. F. M. Paulo Freire – análise de uma história de vida. Minas Gerais. Promel, p. 18 – 21, junho de 2012.

ALVES, B. J. Paulo Freire contemporâneo sob as lentes de um documentário. E-Mosaicos, Rio de Janeiro, V.6 – N.13, dezembro de 2017.



Descrição da Série Professor Iglesias

24 de Outubro de 2019, por Paulo Ricardo da Silva Borges Batista

Neste breve texto, iremos tratar acerca da série Professor Iglesias, uma série de comédia com atores mexicanos e norte-americanos. Diferente das séries normais do gênero, Professor Iglesias tem um “quê” de superação, dado as vitórias pessoais da personagem principal (Gabe), que também estudou na escola que leciona e quando se formou voltou a mesma, a fim de ajudar seus alunos a se superarem pessoalmente e evoluírem enfrentando os desafios impostos pela vida. Iglesias tem de lidar com seus colegas, de diferentes personalidades, com sua diretora, o assistente dela e seus alunos. A série nos leva a pensar nossos papéis que lidamos durante nossas carreiras como docentes,e qual deve ser nossa postura frente aos desafios impostos pelo sistema educacional.Ademais, refletimos sobre o papel motivação que pode ser desempenhado pelo docente,a fim de ajudar os estudantes em suas jornadas e incentivá-los a mudar sua situação social e de sua família. No documento, trataremos de descrever cada episódio e as percepções do telespectador-narrador sobre os mesmos.

Quem ficou para trás

No episódio inicial temos a apresentação de todo o corpo docente e de Gabe. Ele é um professor bastante motivado e alegre com todo os seus alunos. A metodologia de aula e diferente e abrange todas as formas de ensinagem e aprendizado. Iglesias mostra que as formas de aprendizado são bastante diversas e o aprendizado por cada aluno, exige que o professor saiba respeitar o tempo e acreditar em suas capacidades. Contudo, o vice-diretor da escola pretende expulsar alguns alunos, pois, segundo ele, esses alunos não têm capacidade e não irão fazer a escola alcançar os níveis necessários para que seja considerada a melhor escola daquele bairro. A turma que os alunos não vão bem é a de Gabe, e isso o leva a recorrer a diretora para solicitar respostas.

Escola de verão

Gabe recebe a resposta que seus alunos não são “bons” para a imagem da escola, pois não alcançam boas notas e alguns faltam muito durante as aulas. Ele questiona seus alunos sobre o tema, e recebe deles explicações variadas, entre elas, a de que eles não se sentem tão capazes a realizar os exames, alguns têm de trabalhar para se sustentar e outros não se sentem tão inspirados para estudar a matéria além da aula. Com isso, o vice-diretor alega que terá de expulsar os estudantes. Gabe questiona a decisão e alega que aquilo era eliminar os alunos de um processo educacional, mas não os problemas dos estudantes. A diretora faz um acordo com o professor para que ele possa estudar e dar aulas de reforço para os estudantes durante as férias, a fim de elevar seus resultados e recompensar seus resultados anteriores. Com isso, o educador teve de abrir mão de uma viagem para que seus alunos pudessem participar das aulas de reforço. A medida é recebida com resistência pelos discentes, mas é aceita em seguida, pois os mesmos concordam que seria melhor estudar nas férias do que ser expulso da escola.

Coração a mil, mochila vazia

A escola também tenta emplacar como uma das melhores escolas da região, e para isso o vice-diretor e assistente, Carlos, busca implementar medidas que ajudem neste processo. Entre elas, estão a adoção de mochilas transparentes, que não permita os estudantes levar a escola qualquer material que não seja pertencente ao campo pedagógico-escolar. A medida, no entanto, é mal recebida pelos alunos e pelos professores, pois presume que os mesmos sempre farão coisas erradas e para que isso não aconteça é preciso tirar até mesmo a privacidade daquilo que os mesmos carregam em suas mochilas. Manifestações são organizadas contra a medida e a mesma é derrubada.

A seco

Neste episódio, o foco maior se dá para o Professor Iglesias, pois ele sofria do vício de alcoolismo e semanalmente se reúne com pessoas como ele para conversarem e reatarem os laços de amizade e sobriedade. No entanto, ele começa a sentir que está gostando de uma mulher e teme que isso possa afetá-lo como educador e em seu processo de recuperação.

Todo mundo odeia o Gabe

Gabe recebe em sua turma um novo aluno, mas o discente não gosta de estudar e o docente tem o desafio de incentivá-lo a ler e realizar os trabalhos escolares. O dilema enfrentado pelo professor é que se o atleta não passar na matéria (História) ele não poderá jogar no campeonato que acontecerá naquela mesma semana. Ainda assim, o jogador resiste e não faz o mínimo esforço para as aulas. Sendo assim, o professor dá mais uma semana para que ele possa entregar o trabalho. A medida é polêmica, e a maior parte da turma discorda da atitude do professor, que a tomou pensando no bem-estar de todos e no campeonato. Por fim, ele percebe que não estava sendo justo e acaba voltando atrás em sua medida, permitindo que todos tenha um tratamento igual. Sua aluna mais proeminente, Marisol, reconhece que o aluno precisa realizar o trabalho e desabafa que ela, mesmo trabalhando em três empregos diferentes consegue e se esforça para a realização de todas as atividades escolares. Sendo assim, o aluno consegue realizar o trabalho e também jogar no aguardado campeonato de sua escola. Gabe consegue o feito da realização da atividade, e percebe que o atleta é mais inteligente do que parece, apenas não se esforça para as atividades da escola.

Show de talentos

A escola irá celebrar um show de talentos, outrora os alunos alegam que não são capazes de realizar tal feito e que não tinham capacidade e nenhum talento. Gabe, para incentivá-los entra no show e incentiva todos os seus alunos a participarem com os seus talentos e habilidades pessoais. Com isso, o professor consegue animar um dos alunos a contar piadas no show e orgulhar sua mãe com o seu talento.

Greve de professores

Iglesias decide se reunir com os demais professores em um protesto por melhores condições de trabalhos. Todavia, os alunos necessitam estudar para uma competição acadêmica de perguntas gerais, que será celebrada em toda a escola. O professor decide lecionar em locais públicos e os protestantes concordam com isso. Ademais, relembra aseus alunos métodos de estudo e associação para a competição.

O Super Danny

A professora Abby recebe a visita de seu namorado e ele tenta reconquistá-la; as ações fracassam e o casal decide ficar um tempo separado para refletir sobre a relação vivida a dois. Iglesias também enfrenta problemas com uma de suas alunas que não quer visitar as maiores faculdades do país. A estudante decide que prefere estudar em uma faculdade pequena e próxima de sua casa, pois sempre quando volta do trabalho ela passa pela frente da mesma e reconhece que estaria muito bom para seu desempenho. Apesar disso, os professores inspiram a jovem e salientam que ela está muito além de suas próprias percepções pessoais. Marisol acaba mudando de opinião e reconhecendo que talvez ela esteja se menosprezando muito. Ela é a melhor aluna de sua turma, a mais esforçada e a mais participante.

Declato acadêmico

O Decatlo Acadêmico é um desafio estudantil que acontece na escola todos os anos e reúne diferentes turmas para uma competição de conhecimentos gerais, com a finalidade de definir os vencedores da competição e incentivar o estudo dos mesmos para que eles se esforcem e façam bons resultados no desafio. Marisol, que é da turma dos alunos mais fracos e com um resultado mais baixo é incentivada a ir para a turma dos estudantes avançados e ajudar a alavancar os resultados. A estudante estuda a possibilidade e acaba aceitando. Com o tempo ela descobre que aquela não é sua turma,pois os estudantes são extremamente competitivos e não tem pensamento de equipe, cada um pensa por si só. Marisol decide que sua verdadeira equipe é a dos alunos que ela sempre fez parte e ela volta a sua sala. No dia da competição muitos desafios são enfrentados, fica nítido que a turma dos alunos avançados tem maior facilidade com as perguntas, outrora os alunos de Gabe são mais unidos e tem métodos diversos de aprendizado. Por fim, a equipe de Gabe ganha e Marisol decide que o melhor lugar para ela estar é onde ela pode fazer alguma diferença.

Considerações finais

A série é emocionante, inspiradora e cheia de boas histórias. Os personagens são muito bem desenvolvidos e nos fazem querer fazer parte do enredo. Inglesais é um professor diferente, e sabe se colocar no lugar dos seus alunos mesmo quando a situação está ruim para ele. O educador entende que nenhum aluno deve ser excluído, pelo contrário, sua experiência como estudante revela que devemos sempre acreditar nos discentes e apoiar suas boas ideias mesmo quando elas não parecem ser consistentes nem para eles.O professor se mostra diferente de qualquer outro da escola e consegue ser reconhecido como o melhor professor de história da mesma. A admiração por parte dos alunos cresce porque o professor também se vê como alguém que precisa aprender. Gabe jamais se demonstra como o “grande conhecedor de todas as coisas”, ele sempre tenta buscar métodos de entendimento mútuo e discutir as possibilidades das ações dele e dos alunos. O mestre também prepara sempre suas aulas e não mede esforços para colocar o aluno como principal na sala de aula. As aulas participativas, a amizade do aluno e do professor e as ideias diversas e conhecimentos diversos são parte dessa trama que merece ser assistida o quanto antes. O professor não utiliza nenhum método novo, e ainda assim inova. Iglesias não é feito para aqueles que acham que sabem, mas para os que não sabem e que mesmo sabendo querem saber mais. A máxima do aprendizado contínuo, respeito,humildade e reconhecimento dos defeitos são elementos do enredo rico, grande e espetacular da série supracitada.



Por que ir à Palestras?

15 de Setembro de 2019, por Paulo Ricardo da Silva Borges Batista

Sou um daqueles estudantes, que tem um pé na sala e um olho nos cartazes. Estou sempre procurando atividades acadêmicas que ajudem a enriquecer meu currículo. Quando comento com meus amigos sobre as palestras da faculdade, alguns dizem que é bobagem e que “não vale a pena ouvir alguém por uma hora” sobre assuntos que desconhecemos. Quando ouço esse tipo de frase eu sempre paro de falar sobre o assunto, e começo a falar sobre coisas que a pessoa já conheça e que seja comum entre nós, pois sei que essa mentalidade não pode ser transformada por mim através de discussões rápidas e em 30 minutos. É preciso que essa pessoa decida se isso é bom para ela ou não, e até mesmo pense em ver uma palestra de seu interesse para entender a complexidade de cada evento e os assuntos abordados de forma delicada e sucinta.

Sendo assim, eu acredito que as palestras são parte essencial da vida de qualquer graduando, técnico e até mesmo alunos de nível médio. Aqueles que já se conscientizaram da relevância de uma palestra no currículo entendem que cada uma delas é imprescindível para sua área e deve ser escolhida a dedo. Os eventos podem ser organizados em um único dia e até mesmo em diversos meses. Então, cabe a cada pessoa entender sua necessidade de participação e verificar detalhadamente cada dado para a efetiva participação.

Ademais, se faz fundamental observar se a palestra oferece certificação, pois sem o documento você não terá como provar e validar a terceiros a sua participação efetiva, e pior, não poderá sequer citar isso em seu Currículo Acadêmico. Também é fundamental entender que não vale muito a pena colocar em suas redes a participação em palestras que sequer fazem parte de sua área de atuação, pois algumas pessoas podem entender que você foi a estas palestras e não sabe o que está fazendo da vida já que participa de eventos que sequer lhe ajudarão a aprofundar seus conhecimentos e provar seu interesse em manter-se atualizado nos temas do seu campo cientifico.

Para retomar nossos tópicos aqui trabalhos, irei citar os passos para que você possa aproveitar dessas ocasiões e garantir contribuições para sua carreira. O primeiro passo é selecionar as palestras de seu interesse e campo de atuação. Em segundo lugar, você deverá verificar cada detalhe sobre o mesmo e checar a possibilidade de emissão de certificado; ademais, cabe ligar no espaço e perguntar se é preciso inscrição prévia ou somente no dia, pois em muitas palestras as inscrições são feitas no dia da mesma. A comunicação é um passo fundamental para garantir todas as etapas, sem ela você pode incorrer ao erro de ir para uma palestra e não conhecer o tema, participar sem saber a sala e até mesmo ir para uma palestra onde o público é totalmente diferente daquilo que você esperava. Por fim, espero que todas as dicas tenham sido bem absorvidas e que sua carreira seja duradora e repleta de valiosos conhecimentos científicos.