Fechado para Balanço

10 de Junho de 2008, por Desconhecido - 66 comentários

bs´d

 Atividades blogueanas suspensas até 08/02/09, com o intuito de se enfiar nos livros para passar no vestibular da Psico. (Que droga, não abriu vaga para transferência este ano, hunf!)Chorando

 Porém lerei mensagens e adicionarei amigos.

 Rivka



Divulgação Científica

23 de Março de 2008, por Desconhecido - 1010 comentários

bs´d

  Infelizmente, a maior parte das pessoas não têm contato com as carreiras ditas acadêmicas. Exemplos deste triste femômeno não faltam nas minhas passagens por várias desta áreas.

  Quando entrei em Física, por exemplo, quando citava com orgulho o nome de meu curso, a reações das pessoas eram de surpresa, desconfiança ou estranhamento. Mas não porque eu estava fazendo algo difícil, ou que a maioria das pessoas considera enfadonho e sim porque não entendiam como uma pessoa que faz física conseguia andar de salto alto, roupas normais e maquiagem. "Onde está o uniforme?" "Como você consegue jogar futebol de sapato?" "Mas não é que não pode fazer aula de física de calças jeans (sim, na época eu ainda não havia aderido ao visual Just Skirts.)". " Ah, que legal que você faz Fisíca! Posso te fazer uma pergunta? Eu estou com uma gordurinha localizada, qual exercício eu poderia fazer para melhorar isto?", e outra pérolas que me assustavam um pouco...

 Bom,  a causa de tal comportamento não está apenas no desconhecimento da profissão de físico, como também em um processo cultural arraizado dentro das escolas que reflete apenas as verdadeiras prioridades do mundo moderno. Se houve um pedagogo por aí, por favor me ajude a entender o porquê de se chamar a Educação Física oferecida na escola desde os primeiros passos de um aluno. Por que a insistência em  tal denominação sendo que oito anos mais tarde, o aluno irá se deparar com uma matéria de nome idêntico, o que só causará uma baita confusão na sociedade no futuro? Me parece que isto apenas deixa claro que na nossa educação há um componente corpo acima do intelectual muito forte. Isto é demostrado, por exemplo, nas próprias falas da qual eu mesma fui ouvinte, enquanto estudante de física. Se tal apelo ao corpo não fosse tão forte, não haveria motivo para que as pessoas logo associassem a palavra "física" imediatamente ao esporte, ao invés de parar e lembrar-se daquela matéria chata que aprendia na escola. Afinal, se o fato de alguém estar vestido de uma forma um pouco, digamos, estranha para "alguém que faz física", causa uma dissonância cognitiva tão grande, não seria mais coerente eu supor que estaria se tratando da física enquanto ciência exata? 

 Outro fator preocupante também neste caso, é o fato das pessoas associarem a educação física apenas ao  esporte prático, e esquecer que um profissional desta aréa também aprende matérias teóricas e que não seria de se estranhar que fosse para a faculdade em roupas "normais". É um pouco estranho imaginar o pessoal da Ed. Física indo para uma aula de  EFB 0128-Introdução à Pesquisa Científica ( Matéria obrigatória no primeiro ano de tal curso) usando uma chuteira. Ou então entrando justo na FEA, para uma aula de EAD0610-Fundamentos de Administração trajando uma saia rodada e uma faixa na cabeça no maior estilo jogadora de tênis. Isto faz com que se feche o profissional de Ed. Física em um rótulo de personal trainer e esqueça toda a pesquisa teórica que deve haver dentro desta área. Seria inclusive interessante se alguém da Ed. Física colocasse algum comentário sobre este ponto.

 Ou seja, dentro da sociedade maior, os educadores físicos são fechados dentro de um rótulo de apenas jogadores de uma modalidade esportiva, geralmente associada à esportes populares nos países ( Sim, porque há muita gente que considera xadrez um esporte e ele nunca foi aprendido ou estimulado nas escolas. Nem sequer ouve-se dentro de tal espaço uma discussão se ele é afinal digno de estar em tal categoria ou não). Porém, eles ainda têm sorte, pois físicos nem sequer merecem um rótulo errôneo. Quando muito a imagem de um físico é associada ao Einstein ou a um maluco de cabelo para cima e jaleco, que adora explodir coisas por aí...

 O que tem de ser mudado é a concepção da palavra Física como sinônimo de Esportes nas escolas. Assim, quando se tornar um adulto, tal criança saberá reconhecer tal diferença, e também reconhecerá o que vem a ser física quando em conato com alguém da área. Acho que o maior serviço para tal objetivo é realizado pelo Show da Física, que desmitifica a matéria como algo enfadonho e incompreensível.

 Além disto, algo mais complicado teria de ser tomado.  Porque a imagem do físico tem de estar associada ao Einstein,  em uma foto na qual estava brincando com crianças, com a língua de fora, e não à da Feynman, ou á de qualquer outro físico tão importante quanto o primeiro, porém em um momento mais sério? Cabe também uma mudança de paradigma aqui, porém não sei até que ponto que as partes envolvidas estão interessadas em fazê-lo.

 Parece que estamos vivendo em uma era espartana.  

 Continua, afinal ainda falta a minha experiência com a Astronomia e com a Antropologia.E por absoluta falta de tempo, deixarei este trabalho para mais tarde, porém, pretendo elaborar aqui idéias sobre como as pessoas vêem a ciência longe da academia, assim como pensar em soluções que pudessem permitir mudanças nos pontos de vistas errôneos.

 



Acabei de entrar...

3 de Março de 2008, por Desconhecido - 1Um comentário

bs´d

  Olá a todos!

 Acabei de entrar no stoa. Ainda estou meio perdida. Como mexe neste negócio? Bom, com o tempo, a experiência vem chegandoe serei capaz de operar o bichinho sem problemas. Assim espero!