Semana passada foi um momento memorável para o projeto Adote um Vereador no acompanhamento ao vereador Roberto Tripoli. Visitei o gabinete dele, conheci o pessoal da equipe, e conversei bastante especialmente com a jornalista ambiental Regina Macedo, que trabalha com o Tripoli há uns 20 anos quase, praticamente desde que ele começou a ser vereador.

Ela foi muito atenciosa, conversamos por cerca de 1 hora. Apenas pediu para que não publicasse o que falamos, por ser somente esclarecimentos gerais para mim, preparando-me para acompanhar o vereador no projeto. É uma pena não poder publicar o resultado desta conversa tão interessante, com muitas informações valiosas, interessantes e curiosas; mas este contato inicial foi importante para uma aproximação pessoal, de todo modo. Outro dia espero conhecer pessoalmente o próprio vereador.

Pude tb descer com o assessor Wilson Grassi e ver o plenário, onde estava como presidente de comissão de finanças o Tripoli, na mesa. No andar onde ficam as salas de comissões, vi vários quadros de pinturas retratando os presidentes da Câmara dos Vereadores, incluindo uma deste que adotei (foi presidente na última legislatura, em 2005 e 2006). Depois publico as fotos que tirei.

=== Agora o que interessa mesmo, seguem as respostas oficiais que me concedeu a assessora de imprensa Regina Macedo: 

1. Como os funcionários e assessores do seu gabinete são ou foram escolhidos? Há concurso público para escolhê-los ou foram nomeados pelo vereador?

A maior parte dos funcionários do Gabinete do Vereador Roberto Tripoli (PV) acompanha o parlamentar há anos. Os critérios de escolha são técnicos, de acordo com as áreas de atuação do vereador (meio ambiente, defesa da fauna e flora, ecologia urbana, finanças públicas etc).

Os funcionários ocupam cargos em comissão (um regime especial, próprio do poder público onde não existem as garantias da CLT e nem estabilidade própria dos concursados). Estes funcionários são nomeados ou exonerados a critério do Vereador, são cargos de confiança.

Quanto a um possível concurso para escolha de tais assessores, cabe lembrar que os funcionários de gabinetes de vereadores (ou mesmo de deputados, de senadores...) se fossem escolhidos por concurso público, seria criado um impasse quando os parlamentares deixassem o cargo e seus funcionários, com estabilidade, permaneceriam no serviço público, com dificuldades de lotação.

2. Quanto será gasto com cada assessor e funcionário? Qual será o salário de cada um? O que cada um faz e como ajudam no trabalho do vereador?

Quanto a salários, a Câmara Municipal estipula o teto de R$ 71.564,92 (bruto) para gastos com funcionários no Gabinete e o vereador avalia cada técnico e estipula a gratificação que é somada ao salário padrão de R$ 1.106,36. Nenhum funcionário pode ter salário acima de R$ 9.580,00 (bruto). O salário do chefe de gabinete também tem teto estipulado pela Câmara.

O Gabinete do Vereador Tripoli não divulga salários, pois em episódios de anos anteriores, quando nomes de funcionários da Câmara e respectivos salários foram divulgados pela mídia, alguns chegaram a receber ameaças de seqüestro; e sabemos que atualmente pessoas que ganham mil ou dois mil Reais acabam vítimas de seqüestros-relâmpago e outras ameaças.

3. Como o senhor acha que podemos contribuir para diminuir o nepotismo nas instituições políticas do Brasil?

Existem leis proibindo o nepotismo nos três Poderes de todas as esferas de governo, inclusive o chamado “nepotismo cruzado” (exemplo: o parente de um político trabalhando para outro político). Na Câmara Municipal especificamente, o chefe de gabinete também não pode ter parentes contratados.

4. Por favor, gostaria que o senhor me informasse os nomes de todos assessores e funcionários que o ajudarão para eu colocar na sua página wiki do projeto Adote um vereador.

[Esta questão não foi respondida, provavelmente pelo receio exposto na questão 2.]

=====

Gostaria também de divulgar a página onde estão todas as publicações do vereador, inclusive uma história em quadrinhos bem grande e bacana, em que ele aparece interagindo com a Turma da Mônica, numa história buscando conscientizar as crianças sobre o cuidado ambiental! Aprovadíssima proposta, em minha opinião! (Só é uma pena quea digitalização tenha ficado um pouco ruim!) E foi bem interessante vê-lo como personagem da equipe Mauricio de Sousa, rsrs. 

Seis publicações "Ecoando", de 1998 a 2007: http://www.robertotripoli.com.br/publicacoes/

Turma da Mônica encontra Tripoli - "Ecologia Urbana", de 1996: http://www.robertotripoli.com.br/wp-content/uploads/2008/11/gibi_monica_tripoli.pdf